• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Carnaval Capixaba não terá acesso nem rebaixamento em 2018

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Carnaval Capixaba não terá acesso nem rebaixamento em 2018

Enquanto todas as escolas do Grupo A são favoráveis ao acesso e rebaixamento, Pega no Samba, Andaraí, Boa Vista e Jucutuquara são contrárias

Gustavo Fernando

Redação Folha Vitória

O Carnaval Capixaba está com uma nova configuração em 2018. Formado por três entidades independentes, as escolas de samba ainda não entraram em um consenso, mas tudo indica que não haverá acesso e rebaixamento neste ano.

Ao todo, nos dois dias de folia, 18 agremiações vão desfilar pelo Sambão do Povo. Sete do Grupo Especial, comandado pela Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesge), sete do Grupo de Acesso, todas ligadas a Liga Espírito-Santense das Escolas de Samba (Lieses) e quatro da Fecapes (Federação Capixaba das Escolas de samba).

Enquanto todas as escolas de samba do Grupo A são favoráveis ao acesso e rebaixamento, Pega no Samba, Andaraí, Boa Vista e Unidos de Jucutuquara, todas do Grupo Especial, são contrárias a decisão.

Para o presidente da Liesge, Rogério Sarmento, o acesso e rebaixamento é fundamental para a qualidade dos desfiles e um maior interesse no espetáculo, mas quando a decisão foi tomada, os desfiles do Grupo de Acesso, que acontecem na sexta-feira, ainda não estavam garantidos, devido a um conflito dentro da Lieses, entidade responsável pelas agremiações. 

"O fator instabilidade foi fundamental para essa decisão. Mas durante a semana ainda vamos conversar sobre o assunto e "bater o martelo". Mas quem decide são as escolas de samba, eu apenas sou o gestor da Liege", ressalta.

Rogério também afirma que se houver alguma alteração, ela tem que acontecer até a próxima sexta-feira, quando o Carnaval Capixaba recebe o sinal verde para os desfiles. Após isso, qualquer mudança pode ser entendida como benéfica para alguma agremiação.  

Opinião

O acesso e o rebaixamento fazem parte do "jogo" e dão maior credibilidade ao carnaval. Com isso, atraem o público e tornam os desfiles das escolas de samba ainda mais atrativos. Para o presidente da Chega Mais, Edson Neto, se o regulamento continuar como está, qual será a motivação das escolas de samba do Grupo de Acesso para este ano? Para ele, o acesso e o rebaixamento são formas de aguçar a competitividade entre as agremiações. Ele também ressalta que se a decisão for confirmada, será uma grande injustiça com o folião, com as comunidades envolvidas e também com as escolas que desfilam na sexta.

Quem também se pronunciou favorável ao acesso para o Grupo Especial foi a Imperatriz do Forte, na figura do presidente Gilson Barcelos. "Somos uma escola de tradição no Carnaval Capixaba. Impedir que a campeã do Grupo A não vá para o Grupo Especial será uma grande injustiça. O importante não é somente ser campeão, é poder desfilar no Grupo Especial no próximo ano. Nossa comunidade espera por isso".

Rafael Cavalieri, vice-presidente da Chegou o que Faltava, escola do Grupo de Acesso, afirma que tem que haver acesso e rebaixamento. Dessa forma, o Carnaval Capixaba ganha em credibilidade e interesse. "O acesso para o Grupo Especial é uma motivação a mais para as escolas que desfilam na sexta. Senão, qual o interesse em tanto investimento, somente o título? Trabalhamos o ano todo, com o apoio da comunidade e parceiros para vencer o carnaval e desfilar no Grupo Especial. Esse é o sonho de qualquer escola do Grupo de Acesso", reitera. 

Para as escolas do Grupo de Acesso, impedir o rebaixamento de uma escola do Grupo Especial pode transparecer a ideia de protecionismo. Dessa forma, as escolas da Liesge podem se sentir na "zona de conforto" e apresentar um carnaval abaixo da média. Já se o regulamento for alterado, e se confirmar o acesso e rebaixamento das escolas, isso irá trazer mais credibilidade e valorização do espetáculo proporcionado pelos desfile das escolas de samba.

Outro lado

Diretor da Andaraí, escola do Grupo Especial, Thiago Bandeira afirma que a agremiação é favorável ao acesso e rebaixamento, mas somente para 2019."Será que a campeã do Grupo de Acesso tem condições de desfilar no Grupo Especial no próximo ano? Lembro que quando a decisão foi tomada, os desfiles de sexta-feira ainda não estavam garantidos", afirma.

Além disso, Thiago garante que não haverá desmotivação no Grupo Especial em relação ao não rebaixamento, já que é previsto, em regulamento, uma punição/redução de 20% dos recursos para a última colocada no próximo ano.