• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chega Mais promete brigar pelo título do Grupo de Acesso com enredo nordestino

Entretenimento

Chega Mais promete brigar pelo título do Grupo de Acesso com enredo nordestino

O presidente da Chega Mais, Edson Neto, afirma que a escola vem forte neste carnaval, apesar das dificuldades financeiras que assolam todas agremiações

Sexta colocada no Carnaval 2017, a Chega Mais promete realizar um grande desfile apostando no enredo “Sertão. Sol, seca e alegria… A saga de um povo valente, festeiro, e lutador”.

Para 2018 a escola terá algumas novidades. A estreia do intérprete Leonardo Reis, da rainha Gerusa Barcelar, além da nova formação do primeiro casal, composto por Sandro Souza e Delma Vieira. 

Meu padim, meu Padre Ciço
Faz chover neste torrão
Abençoe a nossa terra, castigada do sertão
Cabra da peste, sou do Nordeste
Mandacaru a flor mais linda do Agreste

O presidente da Chega Mais, Edson Neto, afirma que a escola vem forte neste carnaval, apesar das dificuldades financeiras que assolam todas agremiações. "Vamos apresentar um grande carnaval e vamos brigar pelo título. Confio na força de nossa comunidade e no nosso enredo, que é de fácil leitura e carismático", ressalta. 

Confira a ficha técnica da Chega Mais:

Presidente: Edson Neto
Carnavalesco: Wilson Vila Flor e Alexandre
Intérprete: Leonardo Reis (Leozinho)
Mestre de Bateria: Vinícius Seabra
Rainha: Gerusa Barcelar
Coreografo da comissão de frente: Antônio
Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Sandro Souza e Delma Vieira
Quantidade de Carros Alegóricos: 3
Quantidade de alas: 17
Número de componentes: 1.100

Samba Enredo: “Sertão. Sol, seca e alegria… A saga de um povo valente, festeiro, e lutador”

Senhor abençoai
A nossa lida o pedacinho deste chão
Minha alegria é ver o dia raiar
Asa Branca voar no céu do sertão
Muié… Prepare a festa, pra coroar o rei do baião
Traga a zabumba, sanfona e viola
O filho da terra voltou a raiz
Sou matuto boiadeiro, valente, sonhador.
Nas terras do meu padroeiro
Encontro a fé no meu “Velho Juazeiro”

Puxa o fóle! Sanfoneiro
Chega Mais, no arrastapé
Não se avexe não!
Não se avexe não!
Ela só pensa em namorar
Saudade, meu remédio é cantar

Busquei as riquezas do meu sertão
O sangue que corre nas veias
Tem força, a garra, a superação
Olê… mulher rendeira,
Olê… mulher rendar,
Os encantos da sua renda, fez o sertanejo, se “apaixoná”
Lampião é Virgulino,
Cabra macho, sim “Sinhô”
Maria Bonita sua beleza,
Conquistou o seu amor
Mas quem quizer balançar,
Dançar o frevo é bom
“Pulá” fogueira é noite de São João

Meu padim, meu Padre Ciço
Faz chover neste torrão
Abençoe a nossa terra, castigada do sertão
Cabra da peste, sou do Nordeste
Mandacaru a flor mais linda do Agreste