• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Luciano Huck dá dica para ter sucesso no casamento: - Casamento sem sexo é amizade

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Luciano Huck dá dica para ter sucesso no casamento: - Casamento sem sexo é amizade

Juntos há 13 anos, eles estiveram no Domingão do Faustão no último domingo, dia 7, para dar algumas dicas aos seus fãs no quadro Divã

Angélica e Luciano Huck formam um dos casais mais festejados entre os famosos brasileiros. Juntos há 13 anos, eles estiveram no Domingão do Faustão no último domingo, dia 7, para dar algumas dicas aos seus fãs no quadro Divã. E Angélica, como sempre, soltou o verbo sobre diversos assuntos, entre ele alguns mais calientes. Quando perguntados sobre relacionamento, Luciano falou o que pensa sobre manter a chama acesa. - Casamento sem sexo é amizade. Você tem que ter admiração pela pessoa. O amor vai se transformando, vai amadurecer e ficar cada vez mais sólido. Mas tem que ter desejo, afirmou. Já Angélica deu conselhos. - Tem que se cuidar pro outro, não embarangar. De vez em quando fazer um certo clima, namorar, fechar a porta com a chave..., ensina.

Angélica ainda deu dicas para a hora de se vestir. - Ninguém tem que se privar, essa coisa do empoderamento é muito séria. A gente vê, a mulher é criticada pela maneira de se vestir, recebe cantada... Eu fico pensando como fazer com que meus filhos cresçam valorizando, respeitando a mulher. É um papel muito nosso educar para eles respeitarem. Ainda tem um machismo muito grande.

E quer saber quem é mais ciumento na relação? - Eu sou ciumenta. Não sou, amor?, perguntou a apresentadora, ao que ouviu: - Não porque não dou motivo.

Quer mais um detalhe do casal? Huck ronca: - Eu gravo e mostro para ele. Gravo tudo, contou Angélica.

Luciano Huck na política

Além da conversa sobre vida a dois, Luciano Huck ainda aproveitou o momento para explicar o seu envolvimento com política: - É a primeira vez que falo sobre isso na televisão. Nesse último ano fui chamado por uma discussão que eu não levantei a mão, que é começar a tentar pensar nas possibilidades concretas para o Brasil este ano. Eu me propus a por a cara na rua e tentar mobilizar a minha geração, quem são as pessoas que estão a fim de fato a chegar perto da política. Minha missão esse ano é tentar motivar as pessoas a votarem com muita consciência e que a gente traga os amigos que estão a fim para ocupar a política, senão não vai ter solução. Eu nunca, jamais, vou ser o salvador da Pátria, e o que vai acontecer na minha vida eu também não sei. Amo o que faço, amo estar todo sábado na televisão, gosto muito de estar com as pessoas e contar as histórias. O que o destino e o que Deus esperam para mim vou deixar rolar. Neste momento, ainda acho que meu papel com esse microfone na mão e aqui na Globo, e motivando as pessoas, pode ser até mais importante do que estar lá. Mas eu vou participar, vou botar a mão na massa, quero ajudar e acredito muito no Brasil. Contem comigo para tentar melhorar essa bagunça geral aqui. A sociedade como um todo está envergonhada da classe política. Não estou falando em causa própria, todo mundo que tem filho, irmão, tem que enxergar a política como único caminho para transformar. Tem que aproveitar essa fratura exposta que aconteceu no Brasil nos últimos dois anos, de derretimento da classe política para reocupar esse espaço, ressignificar as coisas e tentar de fato botar um pouco de ética. O servir tem que ser de verdade, quem está a fim de pensar no próximo, de melhorar a vida das pessoas.