• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Às lágrimas, Gisele Bündchen dá adeus às passarelas

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Às lágrimas, Gisele Bündchen dá adeus às passarelas

São Paulo - Gisele, 34 anos, 20 de carreira, e em plena forma surge resplandecente na passarela. Ela usa um vestidinho branco curto e soltinho e, como de costume, arranca aplausos. E a plateia estava ansiosa. Desde que Gisele anunciou que este seria o seu desfile de despedida, semanas atrás, o assunto dominou as rodas da moda (e os sites, as revistas, os blogs...) no Brasil, em Londres, Paris, Nova York. Ela continuará com as campanhas publicitárias.

O adeus oficial, ontem, teve o efeito midiático esperado e ganhou transmissão ao vivo no GNT. Só não foi televisionado pelo Jornal Nacional, segundo a assessoria da organização do evento, por causa da prisão do tesoureiro do PT João Vaccari Neto, e tomou conta do noticiário.

Centenas de fotógrafos enviados por veículos do mundo todo disputavam um dos 140 lugares destinados a eles no final da passarela. As 800 cadeiras na plateia também eram concorridas e apenas os convidados de Gisele tinham lugar garantido - entre eles os pais dela, Valdir e Vânia, e as cinco irmãs, Raquel, Graziela, Gabriela, Rafaela e Patrícia, gêmea da modelo, e as duas sobrinhas que vieram do Rio Grande do Sul.

O marido da top, o jogador de futebol americano Tom Brady, também assistiu ao desfile da primeira fila, e tietou a mulher, aplaudindo e gritando a cada aparição. "Sou muito grata por ter tido a oportunidade, aos 14 anos, de iniciar esta jornada. Hoje, após 20 anos nesta carreira, é um privilégio estar fazendo meu último desfile por escolha própria e ainda continuar trabalhando em outras facetas na indústria", postou Gisele em suas redes sociais. Logo após o desfile, perguntada sobre o que estava sentindo em relação àquele momento, a top, com voz embargada, disse apenas: "Me sinto muito querida".

Ao som de Frank Zappa, Gisele desfilou acompanhada por modelos brasileiras que iniciaram a carreira na mesma época, entre elas, Fernanda Tavares, Caroline Ribeiro, Carolina Bittencourt, Luciana Curtis e Ana Claudia Michels. A entrada final foi emocionante. Elas e o modelo americano Sean O'Pry, o mais bem pago do mundo (convidado ilustre da marca, que acabou ofuscado), surgiram com uma camiseta que trazia a ilustração do rosto da top e, nas costas, uma mensagem otimista: "the best is yet to come" (o melhor está por vir). Abraçadas às amigas, Gisele deixou a passarela chorando. E arrancou lágrimas da plateia.

Depois do desfile, uma fila de convidados famosos e blogueiras se formou na porta do camarim. A cantora Paula Fernandes foi barrada na porta. A apresentadora Eliana, que chegou logo depois, teve a passagem liberada. Os convidados superfamosos que estavam na lista da modelo, como Caetano Veloso, Xuxa e Ivete Sangalo, acabaram não aparecendo. Assistiram ao desfile Bela Gil, Gloria Maria, Viviane Senna, além dos principais editores de moda do País.

Para a Colcci, marca com a qual Gisele tem contrato até este ano, a despedida foi um gol em termos de marketing e visibilidade. "Sempre achei uma grande responsabilidade fazer os looks da Gisele, mas desta vez senti um peso maior", afirma a estilista da grife, Adriana Zucco. "Criei algo sexy e feminino, que particularmente acho que é a cara dela. Fiquei feliz que ela aprovou e deu tudo certo."

A grife também permitiu que a top usasse um penteado diferente do das outras modelos, que estavam de trança. Ela entrou com os cabelos soltos, volumosos e ondulados no melhor estilo Gisele (não poderia ser diferente na despedida). Seu nome foi o mais comentado da semana e, durante a dia, era possível sentir o clima de expectativa. "O que está acontecendo aí? É a despedida da Gisele?", perguntou o manobrista às duas da tarde, em frente ao Instituto Tomie Ohtake, onde rolava o desfile do estilista Alexandre Herchcovitch. Quando descobriu que não, respondeu: "Ainda bem!". Ele sabia que a confusão em torno do evento, marcado para às 20h30 na estrutura montada no Parque Cândido Portinari, anexo ao Villa-Lobos, seria grande.

Nos bastidores, os nervos estavam à flor da pele. Fãs pediam convites desesperadamente e, na porta do desfile, o empurra-empurra era grande. Mas valeu. De vestidinho branco ou com o look rosa com que fez sua penúltima aparição, Gisele emana boas energia. A apresentação foi memorável, digna da top número 1 do mundo. "Gisele estava muito emocionada e muito feliz", conta a amiga Fernanda Tavares. Se ela vai voltar a desfilar? Pode até ser, mas não mais como modelo. E, sim, como Gisele, a celebridade. (Colaborou Mariana Belley)