• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Maestro de grandes sucessos, Otávio Bastos falece aos 69 anos

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Maestro de grandes sucessos, Otávio Bastos falece aos 69 anos

Sorocaba - Vítima de enfarte, morreu no sábado, 27, aos 69 anos, o maestro e produtor musical Otávio Basso. Para quem o nome não diz muita coisa, basta lembrar que Basso foi o arranjador de sucessos de sertanejos como Zezé Di Camargo e Luciano, Leandro e Leonardo e João Paulo e Daniel, além de ter trabalhado com Amado Batista e Moacyr Franco. Ele também fez o arranjo da canção Torcida da Paz, que Pelé gravou com o cantor Dalvan, em 1933.

Basso morreu em São Paulo, mas o velório foi realizado neste domingo em Rio Claro, sua cidade natal, e foi enterrado no Cemitério Municipal São João Batista. De acordo com familiares, até o coração falhar, ele vinha mantendo uma rotina de muito trabalho e tinha acabado de fechar contrato com o cantor Amado Batista para uma nova parceria. O maestro já havia feito os arranjos dos primeiros sucessos do cantor goiano.

Carreira

Otávio Basso iniciou na música ainda criança, aos 7 anos, tendo aulas de acordeão com Braguinha. Logo se mudou para São Paulo e integrou a banda Os Impossíveis, que acompanhava cantores da Jovem Guarda, no final dos anos 1960. O trabalho com Amado Batista abriu as portas para outras parcerias, como os arranjos para Pense em Mim e Entre Tapas e Beijos, gravados por Leandro em Leonardo. Trabalhou ainda com João Paulo e Daniel, Zezé Di Camargo e Luciano e Gian e Giovani.

Fez arranjos para Seu Amor Ainda É Tudo, na voz de Moacyr Franco, em 1982, assim como Alma de Festa, gravada por Miriam Batucada, em 1991. Parceira de Basso em várias empreitadas, a produtora musical Márcia Carvalho registrou em seu Facebook a tristeza pela morte do amigo. "Ele deixou um grande legado com seu maravilhoso trabalho na música." Por ironia, Basso também assina arranjos do bolero Fallaste Corazon (Falhaste Coração), gravado por Nelson Ned e Lindomar Castilho.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.