• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Justin Timberlake pode ser preso por causa de selfie

Entretenimento

Justin Timberlake pode ser preso por causa de selfie

O cantor Justin Timberlake tirou uma selfie em uma cabine eleitoral, o que é proibido na região de Memphis, no estado do Tennessee, nos Estados Unidos

Justin pode ser preso por causa de selfie Foto: Divulgação

Justin Timberlake é um bom samaritano. O astro é conhecido por todos por sua fofura e seus vários talentos, já que ele adora se dividir entre cantor/compositor e ator. Mas até pessoas como Justin podem se meter em encrencas gigantescas - e tudo por conta de uma simples e inofensiva selfie.

Segundo informações do site Mirror, o marido de Jessica Biel publicou a foto ao lado em seu Instagram com o intuito de incentivar as pessoas a participarem das votações da eleição presidencial dos Estados Unidos. Na legenda, Justin falou com seus 37 milhões de seguidores na rede social.

Ei, você. Sim, você! Eu acabei de voar de Los Angeles para Memphis somente para votar. Sem desculpas, pessoal! Pode ser que os votos sejam antecipados na sua região também. Se não, 8 de novembro! Escolha ter voz. Se não, não poderemos de escutar. Vá lá e vote!

O problema nisso tudo é que o cantor tirou uma selfie em uma cabine eleitoral, o que é proibido na região de Memphis, no estado do Tennessee, nos Estados Unidos. Ano passado, uma nova lei determinou que os eleitores estavam proibidos de tirar fotos ou realizar gravações na cabine de votação. Caso contrário, a pena poderia ser de 30 dias de prisão e uma multa de 50 dólares, ou cerca de 156 reais.

Entretanto, parece que Justin pode se ver livre das grades. O Departamento de Polícia da região afirmou que o cantor não está sob investigação. Um representante ainda alega que, embora a foto tenha sido tirada, eles não receberam queixas formais sobre o caso, e por isso, decidiram não prosseguir com a verificação de um possível descumprimento da lei. Será que acabou por aí?