• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Nosso time é cascudo, não caímos em provocação', diz zagueiro Felipe após 2 a 0

Esportes

'Nosso time é cascudo, não caímos em provocação', diz zagueiro Felipe após 2 a 0

São Paulo - O clássico entre Corinthians e São Paulo não foi brilhante na arena de Itaquera. Mordido com a goleada por 6 a 1 sofrida no ano passado, os são-paulinos entraram em campo um pouco nervosos e seus gringos, Centurión e Calleri, escolheram a catimba para tentar desestabilizar os rivais. Capitão e remanescente de 2015, o zagueiro Felipe mandou o recado para os oponentes após grande partida pessoal e triunfo por 2 a 0, neste domingo, pelo Pualistão: 'Nosso time é cascudo'.

O zagueiro travou grande batalha com o bom centroavante Calleri, mas saiu de campo revoltado com o excesso de provocação. "Calleri gosta de provocar bastante, mas se deu muito mal porque não me intimidei. Eles ficaram provocando, mas isso não nos atingiu em nada", afirmou o defensor.

E foi além. "Se eu estivesse do lado deles, também estaria com outra vontade, mas eles vieram muito ansiosos e nosso time é maduro e soube aproveitar as oportunidades. O Calleri passou o tempo todo provocando, soltando os braços, e quem perdeu foi ele."

Felipe, na função de capitão corintiano, foi o responsável por comandar o sistema defensivo em campo. Falou bastante com os companheiros, ajudou no posicionamento do jovem Yago e teve de encarar até a torcida corintiana.

Integrantes da Gaviões da Fiel voltaram a fazer protesto no estádio - como diante do Capivariano, na quarta-feira - e o zagueiro teve a missão de pedir para que as faixas fossem fechadas. Foram quatro faixas de protesto: "Futebol refém da rede Globo", "Quem vai punir o ladrão da merenda?", "Ingresso mais barato" e "CBF e FPF, a vergonha do futebol".

Dono de boas defesas diante do São Paulo, o goleiro Cássio preferiu dividir os méritos com os demais companheiros. Mas mandou um recado para quem acha que vai ganhar do Corinthians por jogar 'mordido'.

"Nós falamos que é passado os 6 a 1, mas viemos focados no jogo, concentrados e preparados para nos doar. E quando a gente luta, corre, dá carrinho, fica muito difícil de ser batido", avaliou. "E o São Paulo cometeu alguns erros e conseguimos aproveitar", completou.