• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após risco de W.O., Tucumán usa uniforme da Argentina e avança na Libertadores

Esportes

Após risco de W.O., Tucumán usa uniforme da Argentina e avança na Libertadores

Quito - O Atlético Tucumán, da Argentina, viveu situação inusitada na noite desta terça-feira na Copa Libertadores. Em razão de problemas burocráticos, o time argentino chegou à Quito sem seu material esportivo e, correndo risco de perder por W.O. para o El Nacional, acabou vestindo uniforme da seleção argentina para vencer o time da casa por 1 a 0 e avançar à terceira fase preliminar da competição internacional, no Equador. No jogo de ida, as duas equipes haviam empatado por 2 a 2.

Os problemas do time argentino começaram no embarque em Guayaquil, onde fez sua preparação por causa da altitude. O Atlético não conseguiu despachar todo o seu material esportivo e ao estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, sem seu uniforme.

Segundo o jornal La Gaceta de Tucumán, a empresa chilena Mineral Airways, responsável pelo transporte dos argentinos, enfrentou problema com a documentação e não foi liberada pelas autoridades equatorianas. Demorou cerca de três horas para que a situação fosse resolvida e somente 19 atletas e seis membros da comissão técnica embarcaram em um voo comercial. Além da delegação do Atlético, 120 torcedores estavam a caminho de Quito para acompanhar o jogo.

O jogo estava marcado para as 22h15 e, apesar de ter estourado o prazo de 45 minutos estabelecido no regulamento da Libertadores, o time equatoriano concordou em ampliar o tempo de espera e o duelo foi reagendado para as 23h30. O apito foi dado quase 1h30min depois do horário programado. Como o Atlético Tucumán não conseguiu despachar todo o seu material esportivo, o time argentino contou com um inesperado empréstimo da seleção nacional sub-20, que está no Equador para a disputa do Sul-Americano da categoria.

Em entrevista à Fox Sports, da Argentina, o embaixador argentino no Equador, Luis Juez, contou ter agido na negociação para que o jogo fosse realizado e também disse que o ônibus da delegação chegou a 130 km/h no trajeto entre o aeroporto e o estádio. "Teve gente que veio de carro de longe para ver o jogo, não se poderia suspender. Em nome dos 2,3 mil torcedores argentinos que estão no estádio que estão se comportando. Que ganhem em campo, que nos permitem disputar o jogo", afirmou.