• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após nova decepção em clássico, Santos faz jogo decisivo contra o São Bento

Esportes

Após nova decepção em clássico, Santos faz jogo decisivo contra o São Bento

Sorocaba - O Santos está pressionado no Campeonato Paulista. Atual bicampeão estadual e presente em dez das últimas 11 finais, o time ocupa apenas a terceira posição do Grupo D com 13 pontos - três atrás da Ponte Preta e um do Mirassol. Hoje, é o único considerado grande do futebol do Estado fora da próxima fase do Paulistão.

Faltando três rodadas para o fim do estágio inicial da competição, o time praiano precisa ganhar do São Bento, nesta quarta-feira, às 19h30, o estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, para afastar o vexame da eliminação. E torcer para que o rival Palmeiras - algoz da última rodada - vença o Mirassol, também nesta quarta, no Allianz Parque. O empate da Ponte contra o Santo André por 3 a 3, no ABC, nesta terça, foi um alívio para os santistas, pois evitou que os campineiros disparassem na tabela.

O clima na Vila também está conturbado devido à derrota para os palmeirenses, no domingo passado. A virada sofrida nos últimos minutos da partida representou a terceira queda contra rivais do Trio de Ferro. Os santistas já tinham perdido para o São Paulo - também de virada e em casa - e para o Corinthians, em Itaquera. Após mais um revés, torcedores picharam muros do estádio Urbano Caldeira. Um dos principais alvos foi o lateral Zeca. "Zeca, joga bola!", dizia a inscrição.

Em entrevista coletiva, nesta terça, no CT Rei Pelé, o goleiro Vladimir defendeu o companheiro. "Zeca é um baita jogador e tem nos ajudado muito. E é natural um lance em partida marcar o atleta positivamente ou negativamente", rebateu o goleiro, que disputa vaga de titular com Vanderlei, recuperado de lesão no dedo da mão esquerda.

As convicções religiosas do elenco santista também foram questionadas. "Mais raça, menos religião", dizia outra mensagem pintada nos azulejos da entrada do estádio. O goleiro Vladimir negou que a fé esteja provocando cisões no elenco.

"Não vi as manifestações na Vila, mas a gente não vai encarar como uma ofensa. Cada qual tem sua religião. Cada um crê no que acredita. Panela nunca existiu no Santos. Completo dez anos (de clube) em abril e em todos esses anos nunca vi panela. Jogador tem que render e treinador vai optar por quem estiver melhor", disparou.

SÃO BENTO - O São Bento, por sua vez, depende apenas de si na briga para sair da zona de rebaixamento. Depois de bater o Audax por 1 a 0 fora de casa, o time comandando por Paulo Roberto Santos quer aproveitar o momento de instabilidade do adversário para surpreender.

"O jogo vai ser muito bom porque o Santos é um time de alta qualidade e vai sair para o jogo porque precisa vencer para brigar por uma vaga na outra fase", prevê o técnico.

Paulo Roberto, inclusive, falou sobre uma marcação especial em cima de Ricardo Oliveira e Lucas Lima: "São dois jogadores de seleção brasileira e isso já diz tudo. Acho que a concentração tem que ser total com todos os atletas do Santos até o apito final. Queremos uma equipe com o mesmo perfil do jogo passado, respeitando o adversário, mas acreditando que é possível conquistar um bom resultado".

Com 10 pontos no Grupo C, o São Bento vive uma situação delicada na classificação, mas, se vencer, abre vantagem sobre os adversários na luta contra a degola e ainda e ainda pode sonhar com uma inesperada vaga na próxima fase.

Depois de passar boa parte da competição preocupado com as lesões de sua equipe, Paulo Roberto Santos finalmente tem todo o elenco à sua disposição. O zagueiro João Paulo voltou a trabalhar com bola e se tornou mais uma opção ao lado de Pitty, Rafael Tavares e Gabriel Santos, que brigam por duas posições na defesa.