• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Aprovada no conselho do Palmeiras, dona da Crefisa quer investir na sede social

Esportes

Aprovada no conselho do Palmeiras, dona da Crefisa quer investir na sede social

São Paulo - A presidente da Crefisa, Leila Pereira, precisou esperar quase um mês entre ganhar a eleição para o Conselho Deliberativo do Palmeiras e se garantir como membro do órgão pelos próximos quatro anos. A confirmação da vaga veio apenas na última segunda-feira, após uma avaliação sobre a possibilidade de impugnação da candidatura. O processo terminou de forma positiva para a empresária, que já tem planos para iniciar o trabalho.

"Vou lutar. Sou respeitada, tenho minhas posições e vou tentar defendê-las. Eu não sinto que vou ser alvo de algum tipo de preconceito por ser mulher", disse a empresária ao Estado.

Leila está aliviada depois de ter sido aprovada com 228 votos a favor ante 25 contra. Os conselheiros rejeitaram os pedidos de impugnação da candidatura dela por entenderem que a empresária tinha os pré-requisitos necessários de antiguidade como associada para concorrer à eleição.

Passado o suspense, a dona da Crefisa tem alguns planos para iniciar a participação na vida política do clube. Leila comentou a pessoas próximas o desejo de investir em melhorias na sede social. A empresária já destina dinheiro ao futebol com o contrato de patrocínio master desde 2015, auxiliou na contratações de jogadores e também contribuiu com parte do investimento na reforma das instalações da Academia de Futebol. O centro de excelência, aliás, foi batizado com o nome Crefisa.

A atuação no conselho de Leila e do marido dela, José Roberto Lamacchia, terá o apoio forte de Mustafá Contursi, ex-presidente do Palmeiras e articulador da candidatura do casal pela chapa Palmeiras Forte. O atual mandatário, Maurício Galiotte, tem relação próxima aos empresários. O encontro da última segunda-feira elegeu também o novo presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim Del Grande, diretor do clube na década de 1990.

"Atuar no futebol é muito interessante, motivador e apaixonante, principalmente quando se torce pelo clube. Ser conselheira é estimulante, além da visibilidade, aí eu não falo pela minha pessoa física, mas sim pelas minhas empresas", comentou Leila.