• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

"Nossa realidade não é pensar em título", diz Klinsmann

Esportes

"Nossa realidade não é pensar em título", diz Klinsmann

São Paulo - Nos Estados Unidos, o lema é vencer sempre. Os atletas de lá são criados para brilhar. Na seleção de futebol, a realidade é bem diferente. E o técnico alemão Jürgen Klinsmann foi sincero ao falar sobre as chances de sua equipe na Copa do Mundo do Brasil.

"Temos de ser realistas, cada ano damos um passo para frente e ficamos mais fortes e não olhamos para a gente como um azarão. Mas nossa realidade não é a de pensar em título. Claro, a Grécia ganhou a Eurocopa quando ninguém acreditava", afirmou o treinador, deixando um fio de esperança aceso aos norte-americanos.

Contudo, seu grande desafio é o de passar ao menos da primeira fase. Superar o complicado grupo com Alemanha, Portugal e Gana já seria uma satisfação. "Uma vez passando por esse grupo que estamos, não teremos medo de ninguém."

Klinsmann mostrou muita descontração nos 19 minutos de entrevista coletiva que concedeu nesta quarta-feira. Arrancou gargalhadas em diversas respostas e falou de tudo: Brasil, a pressão dos norte-americanos, Gana, Cristiano Ronaldo, favoritismo.

Uma pesquisa nos Estados Unidos colocou Brasil e depois a seleção do próprio entre as favoritas, o que deixou o alemão surpreso. Ele, óbvio, repassou o rótulo apenas para os comandados de Felipão.

Claro que um povo patriota jamais jogaria contra sua seleção, mas Klinsmann garante que isso não o deixa pressionado. Precisaria de ioga? "Estou dormindo muito bem", afirmou, rindo. "E esse negócio de ioga, já tentei, mas não deu muito certo, não. Mas pressão está em Brasil, Alemanha...", ressaltou.

Sobre a estreia, segunda-feira, diante de Gana, em Natal, ele não quis arriscar um favoritismo. "É 50% para cada lado. Eles estão sempre em primeiro ou segundo da África e não será fácil", prevê.

A seleção de Gana vem de goleada por 4 a 0 sobre a Coreia do Sul, o que deixa o treinador em alerta. Assim como os 5 a 1 de Portugal sobre a Irlanda, em jogo disputado na noite da última terça-feira. Adversários dos norte-americanos na segunda rodada do Mundial, no dia 22, em Manaus, os portugueses jogaram o fino da bola e tiveram a volta do craque Cristiano Ronaldo.

"Copa do Mundo é para ter esses jogadores mesmo e nosso desafio é pará-lo", disse Klinsmann sobre a estrela portuguesa. "Todos assistimos ao jogo e ficamos impressionados. Agora, nosso papel é pará-los e vamos tentar deixar a vida do Cristiano Ronaldo complicada em Manaus", projetou.