• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Nos EUA para ver a Colômbia, Tite diz que precisa se 'reinventar'

Esportes

Nos EUA para ver a Colômbia, Tite diz que precisa se 'reinventar'

Chicago - Já nos Estados Unidos para acompanhar de perto a seleção da Colômbia, uma das adversárias do Brasil na próxima rodada dupla das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, Tite vive os seus primeiros dias à frente da equipe com a preocupação de se adaptar ao novo cargo, lembrando que durante toda a sua carreira comandou times. Por isso, falou em se "reinventar" como técnico à frente da seleção brasileira.

"Quero me reinventar como técnico, tenho que acompanhar as seleções que vão enfrentar o Brasil. Mas tenho principalmente que buscar a adaptação, a proximidade e o acompanhamento dos atletas, com as grandes equipes, para ter um trabalho desenvolvido já para esses dois primeiros jogos", afirmou Tite, em entrevista ao SporTV, demonstrando preocupação em ter um contato mais direto com os jogadores.

Nesta quarta-feira, em Chicago, ele vai acompanhar o duelo entre Colômbia e Chile pelas semifinais da Copa América Centenário. Os colombianos serão adversários do Brasil em 6 de setembro, na Arena Amazônia, pelas Eliminatórias da Copa. Quatro dias antes, Tite fará a sua estreia pela equipe em duelo com o Equador, em Quito, também pelo torneio classificatório.

"Especificamente agora é a Colômbia, o nosso segundo jogo. Gostaria que o Equador estivesse classificado, mas vou buscar com o pessoal da informática o Antes, eu estava voltado ao clube, essa era a essência. O foco agora é outro", disse.

Com o Brasil em sexto lugar nas Eliminatórias, portanto fora da zona de classificação para a Copa, repetiu o discurso de que o Brasil pode ficar fora do Mundial na Rússia. Mas também destacou ter bom material humano à disposição, especialmente Neymar.

"Sim. Não sou demagogo, nem superdimensiono as coisas. É um momento importante, de retomada, em que preciso reciclar meu trabalho, me adaptar para me tornar um técnico de seleção e potencializar isso já nos próximos dois jogos. Mas também há muita qualidade em jogadores emergentes, que estão crescendo e tem muita qualidade. Temos um jogador extraclasse, o Neymar, e um grupo com muito potencial para crescer", comentou.