• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Novidade do Pan 2019, surfe deve trazer medalhas para o Brasil

Esportes

Novidade do Pan 2019, surfe deve trazer medalhas para o Brasil

Oito nomes representarão o Brasil na competição, que vai de 30 de julho a 4 de agosto

Foto: Reprodução Instagram

O surfe, que fará parte dos Jogos Pan-Americanos pela primeira vez na história, já tem seus atletas brasileiros definidos para a disputa. Oito nomes representarão o Brasil na competição, que vai de 30 de julho a 4 de agosto.

Com campeões mundiais e atletas promissores entre os selecionados, o Brasil deve ser uma das grandes potências para o surfe nos Jogos de Lima, repetindo o cenário do surfe profissional.

Entre eles não estarão os surfistas brasileiros que dominam as etapas da WSL (Liga Mundial de Surfe, na sigla em inglês), como Gabriel Medina, Filipe Toledo e Tatiana Weston-Webb. Estes competidores devem focar na disputa das Olimpíadas de Tóquio, em edição histórica para o esporte, que também será disputado no Japão.

Outras duas categorias também estarão no Pan, além do surfe regular, o stand up paddle (surfe e corrida) e o longboard serão disputados e levarão mais seis atletas brasileiros.

Esperança no longboard


Chloé Calmon, surfista de longboard é o maior nome do selecionado brasileiro para a competição. A carioca de 24 anos já foi vice-campeã mundial da WSL em 2017, e é atualmente a líder do ranking da WSL na modalidade.

Ela se classificou para o Pan após levar três medalhas no Campeonato Mundial da ISA (Associação Internacional de Surfe), que ocorreu no início do mês. Na disputa geral das mulheres, Chloe terminou a competição no 3° lugar.

Além dela, Luiz Diniz e Nicole Pacelli, atletas brasileiros no Standu Paddle, já foram campeões no mundial da ISA. Lena Ribeiro, da mesma modalidade, já conseguiu duas medalhas de ouro neste ano, competindo nos Jogos Sul-Americanos de Praia.


Com informações do Portal R7.com