• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Brasileiros apoiam discretamente a Holanda no Itaquerão

Esportes

Brasileiros apoiam discretamente a Holanda no Itaquerão

São Paulo - Depois da goleada histórica sofrida na terça-feira, os torcedores brasileiros adotaram uma postura discreta para torcer pela Holanda e "secar" a Argentina na outra semifinal da Copa do Mundo, nesta quarta, no Itaquerão, em São Paulo. O vencedor vai encarar a Alemanha, algoz da seleção brasileira, na grande final.

Ao contrário dos jogos anteriores no Itaquerão, os brasileiros tiveram uma chegada discreta ao estádio. Raros vestiam a tradicional camisa amarela da seleção. Os que se arriscavam a virar alvo da chacota dos argentinos exibiam sinais tímidos da torcida pela Holanda, como uma pequena bandeira do país europeu pintada no rosto ou pescoço.

A poucas horas do início da partida, a torcida argentina é dominante no entorno do Itaquerão. A Prefeitura de São Paulo esperava a chegada de 35 mil turistas - não há estimativa de quantos têm ingressos para o jogo desta tarde. E, em grande maioria, os argentinos mostravam a conhecida animação antes da partida, principalmente depois do vexame do Brasil contra a Alemanha.

A famosa música "Brasil, decime que se siente", que provoca os brasileiros por causa da derrota para a Argentina na Copa de 90, ganhou ainda mais força no coro dos torcedores. Nem mesmo a leve chuva que caiu nos arredores do estádio desanimou o público. Os mais empolgados brincavam com o placar da goleada alemã e abriam contagem até sete.

Antes da entrada do perímetro controlado pela Fifa, havia como de costume torcedores em busca de bilhetes com avisos em placas em português e inglês: "Preciso de ingressos". Os mais ansiosos estavam dispostos a pagar até R$ 2 mil, faltando quatro horas para o início da partida. Até o momento a polícia, com presença ostensiva, não flagrou nenhum cambista atuando na região.