• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Dunga deve ser anunciado técnico do Brasil na terça

Esportes

Dunga deve ser anunciado técnico do Brasil na terça

Por indicação de Gilmar Rinaldi, Dunga deve ser anunciado como novo técnico da seleção brasileira nesta terça-feira, na sede da CBF, no Rio de Janeiro

Dunga deve ser anunciado como técnico nesta terça-feira Foto: Estadão Conteúdo

São Paulo - Por indicação de Gilmar Rinaldi, Dunga deve ser anunciado como novo técnico da seleção brasileira nesta terça-feira, na sede da CBF, no Rio. Amigo do treinador desde os tempos de Internacional, no fim da década de 1980, o treinador deverá voltar à seleção quatro anos depois de ter sido demitido pelo então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, ao final da Copa de 2010 na África do Sul.

Prestes a ser oficializada, a volta de Dunga teve participação direta de Rinaldi, nomeado diretor de seleções. José Maria Marin, atual presidente da CBF, e Marco Polo Del Nero, eleito para assumir a presidência em 2015, aceitaram de pronto a sugestão de Rinaldi e passaram a negociar com Dunga.

O contrato com o treinador e a CBF teria sido fechado na sexta-feira à noite. No sábado, às 7 horas, o portal da entidade publicou uma nota dizendo que o novo técnico da seleção seria apresentado na terça-feira, às 11 horas, na sede da CBF.

Confirmado sucessor de Felipão, Dunga pode apresentar na terça-feira a sua comissão técnica. Em 2010, seu auxiliar direto foi Jorginho e a maioria dos assessores (médico, preparador físico, fisiologista e assessor de imprensa) também esteve com Felipão na Copa de 2014, encerrada no último dia 13.

A opção por Dunga agora segue a mesma linha adotada por Ricardo Teixeira em 2006. O então presidente da CBF queria um treinador linha dura para amenizar os efeitos da desastrosa preparação da seleção em Weggis, na Suíça, para a Copa da Alemanha.

Teixeira inventou Dunga como treinador - o ex-jogador, capitão do tetra, até então não tinha experiência na função de técnico de futebol. Era uma resposta do presidente da CBF à suposta falta de pulso firme de Carlos Alberto Parreira, treinador do Brasil na Copa de 2006.

Dunga assumiu e de pronto aceitou as ordens de Teixeira. Acabou com privilégios que alguns veículos de comunicação tinham com os jogadores e passou a tratar a imprensa como inimiga da seleção.

CAMPANHA MODESTA - Na Copa de 2010, enclausurou os jogadores em um hotel dentro de um campo de golfe em Johannesburgo, na África do Sul, e só permitiu acesso aos atletas em entrevistas oficiais.

A campanha do Brasil naquele Mundial também foi modesta: venceu a Coreia do Norte por 2 a 1, derrotou Costa do Marfim por 3 a 1, e empatou sem gols com Portugal. Nas oitavas de final ganhou do Chile por 3 a 0 e perdeu para a Holanda por 2 a 1 nas quartas. Antes do Mundial na África do Sul, Dunga havia conquistado a Copa América na Venezuela, em 2007. Dois anos depois, levou a Copa das Confederações disputada na África do Sul.

Um dia depois de demitir Dunga, Ricardo Teixeira revelou que estava arrependido de não ter feito a troca de treinadores antes da Copa. "Não se interrompe um voo quando o avião sobrevoa o mar", disse o presidente da CBF.

Marin e Del Nero, ao que parece, não levaram em consideração as ponderações de Teixeira na época e deverão apostar novamente no treinador gaúcho. Nesta terça-feira, a dupla deve confirmar o tempo de contrato firmado com Dunga e os próximos passos do novo comandante da seleção brasileira.

Os primeiros compromissos do time serão em setembro, nos amistosos contra Equador e Colômbia nos Estados Unidos.