• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após polêmicas, presidente da Concacaf diz que irá avaliar comissão de árbitros

  • COMPARTILHE
Esportes

Após polêmicas, presidente da Concacaf diz que irá avaliar comissão de árbitros

Miami - Depois de amargar decisões polêmicas dos árbitros em jogos da última Copa Ouro, algumas delas evidentemente erradas, o presidente da Concacaf, Alfredo Hawitt, anunciou nesta quinta-feira que irá se encarregar de avaliar a comissão de arbitragem da entidade a partir de agora. A análise, por sinal, servirá para decidir a escala de juízes de cada partida, informou o organismo por meio de um comunicado.

"A base do nosso esporte é o jogo limpo, e temos de realizar as medidas necessárias para reforçar a importância deste princípio", afirmou Hawitt, que assumiu a presidência da Concacaf em maio, depois de Jeffrey Webb ser acusado e preso por corrupção. Webb e seu antecessor no cargo, Jack Warner, foram acusados pelas autoridades norte-americanas de associação ao crime organizado, suborno e lavagem de dinheiro.

Panamá e Costa Rica pediram para a Concacaf investigar a comissão de arbitragem da entidade depois de se verem prejudicadas por decisões dos juízes em suas partidas contra o México na Copa Ouro. Os costarriquenhos foram eliminados pelos mexicanos nas quartas de final, enquanto os panamenhos caíram nas semifinais em um confronto marcado por dois pênaltis inexistentes assinalados em favor da seleção que depois se sagraria campeã ao bater a Jamaica na final.

O México venceu a Costa Rica por 1 a 0 graças a um pênalti marcado aos 17 minutos da etapa final da prorrogação, ou seja, nos acréscimos do tempo extra. Já diante do Panamá, os mexicanos ganharam por 2 a 1, de virada, depois de terem empatado o confronto depois da marcação de um pênalti inexistente aos 44 minutos do segundo tempo. Em seguida, com um gol na primeira etapa da prorrogação, após nova penalidade que não ocorreu, os mexicanos viraram o jogo.

Os erros do árbitro foram tão claros que até mesmo o então técnico do México, Miguel Herrera, admitiu que a sua seleção "não mereceu ganhar". "Não tenho problemas em reconhecer os erros arbitrais e que nos favoreceram, mas não é nossa responsabilidade (apitar), que é a de jogar bem, o que tampouco fizemos", disse o treinador, que nesta semana foi demitido do cargo por ter agredido um jornalista.

O presidente da Federação Panamenha de Futebol, Pedro Chaluja, inclusive chegou a dizer que a partida contra o México foi manipulada, enquanto os jogadores da seleção posaram para uma foto no vestiário, logo após a partida semifinal, exibindo uma grande faixa na qual chamavam os membros da Concacaf de ladrões e corruptos.

No dia seguinte ao confronto polêmico, a Concacaf ressaltou que o árbitro norte-americano Mark Geiger admitiu ter cometido erros na partida entre México e Panamá. Beneficiados pela arbitragem, os mexicanos depois conquistariam o título da Copa Ouro com uma vitória por 3 a 1 sobre a Jamaica, no último domingo, na Filadélfia, nos Estados Unidos.