• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ascensão de Jailson no Palmeiras aumenta suspense sobre futuro de Prass

  • COMPARTILHE
Esportes

Ascensão de Jailson no Palmeiras aumenta suspense sobre futuro de Prass

São Paulo - O pênalti defendido por Jailson contra o Flamengo, na última quarta-feira, deve promover o goleiro à condição de titular do Palmeiras e aumentar o suspense sobre o futuro de Fernando Prass. O antigo dono da posição completou 39 anos no começo do mês, tem contrato somente até o fim da temporada e gostaria de estar com a definição do seu futuro mais bem encaminhada.

Prass é o integrante mais antigo do elenco atual. O ex-vascaíno reforçou a equipe em dezembro de 2012, pouco depois do rebaixamento à Série B, e foi o primeiro goleiro contratado pelo clube desde 1994, quando o time se reforçou com o paraguaio Gato Fernández. Em cinco temporadas no Palmeiras, apenas agora a posição de titular dele parece ser ameaçada.

O técnico Cuca definiu a escalação de Jailson contra o Flamengo depois de conversar com Prass na véspera do jogo. O ex-titular respeitou a escolha do treinador e confirmou a perda de posição logo ao chegar ao Estádio Luso Brasileiro, horas antes do pontapé inicial. O substituto ajudou a garantir o empate ao defender um pênalti cobrado por Diego, já no segundo tempo.

A atuação decisiva de Jailson se contrapõe a uma temporada irregular de Prass. O goleiro admitiu ter falhado em maio nos gols sofridos no clássico com o São Paulo, mas se recuperou nas partidas seguintes. A troca no gol já era uma ideia cogitada por Cuca antes, mas realizada somente agora, depois de o time ter feito 4 a 2 no Vitória, para não expor o preterido em algum momento de derrota.

Como está a menos de seis meses do fim do vínculo, Prass já poderia assinar um contrato com outra equipe e deixar o Palmeiras de graça no fim de dezembro. O desejo do goleiro, porém, é permanecer. A diretoria confia nessa vontade dele, e com base nisso, ainda não procurou o jogador para discutir sobre a renovação. A cúpula palmeirense pretende deixar esse assunto para depois.

A mesma postura de espera se repete com outros dois contratos perto do término. Egídio e Zé Roberto também têm vínculo somente até o fim do ano e ainda não foram procurados para conversar. No caso de Zé Roberto, a tendência é o acordo em vigor ser o seu último. O jogador de 43 anos comentou ter o plano de encerrar a carreira em dezembro.

Prass, no entanto, já disse em entrevistas anteriores que gostaria de estar com a definição mais encaminhada. Em abril deste ano o goleiro trocou de empresário e agora tem a carreira cuidada por Giuseppe Dioguardi. O agente também é o responsável por jogadores como o atacante Kléber, atualmente no Coritiba, e o meia Paulo Henrique Ganso, do Sevilla, da Espanha.