• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após prata no Mundial, Fabiana Murer crê que pode melhorar marca para Rio-2016

Esportes

Após prata no Mundial, Fabiana Murer crê que pode melhorar marca para Rio-2016

São Paulo - A medalha de prata no salto com vara no Mundial de Atletismo é um estímulo a mais para Fabiana Murer tentar voar alto no Rio e colocar o pódio olímpico em sua galeria de conquistas. A atleta de 34 anos vai disputar mais duas competições, em Zurique e Zagreb, antes das férias, para em outubro voltar com força total aos treinamentos. O foco é manter o alto nível para brigar pela medalha em casa.

Agência Estado - A prata no Mundial aumenta a motivação para a Olimpíada?

Fabiana Murer - A gente não vai mudar nada do que temos feito, vamos manter a forma de treinamento e fazer a temporada em pista coberta, porque isso tudo vem dando certo. Também tenho de me manter saudável, que é o mais importante para cumprir os treinamentos e chegar em boa forma na Olimpíada. Será uma prova muito dura, todas essas atletas vão estar lá e tem gente nova crescendo. Umas seis ou sete atletas estarão disputando a medalha no Rio, e quem estiver melhor no dia vai levar. Se eu fizer uma boa preparação posso chegar confiante, como cheguei aqui no Mundial.

AE - Você perdeu para a Yarisley Silva na final. O que dá para dizer dessa atleta cubana?

Fabiana Murer - Ela competiu comigo no Pan em 2007, no Rio. Estava começando, ainda não saltava muito bem, mas a partir de 2011 ela cresceu e passou a ter resultados. Hoje ela está entre as melhores do mundo. É uma excelente atleta, muito veloz, muito forte, e tem o ritmo para fazer saltos altos.

AE - Sua melhor marca é 4,85 metros. Você acha ainda possível superar esse recorde?

Fabiana Murer - Ainda acho que é possível, competindo em Mundial é sempre difícil porque você precisa ir de cinco em cinco centímetros, aí precisa fazer mais saltos, o que torna a competição mais nervosa. Mas vejo que tenho totais condições de fazer 4,90m, tanto que o salto em que eu passei os 4,85m foi com folga, eu vi o vídeo depois da prova e foi muito alto. Acho que posso melhorar essa minha marca.

AE - Como você lida com a pressão para conquistar um pódio no Rio?

Fabiana Murer - A medalha olímpica é o que falta na minha carreira, é lógico que eu quero ganhar. Sei que será difícil, mas vou fazer minha preparação para dar tudo certo e chegar confiante na Olimpíada. Estou bem tranquila em relação a isso, porque sei que só depende de mim. Eu me vejo mais consciente do que nos outros anos, talvez por estar no final da minha carreira, e isso me deixa mais relaxada. Consigo aproveitar melhor os treinos e a experiência de todos esses anos me ajuda a lidar melhor com isso tudo.

AE - Como você imagina que serão os Jogos do Rio?

Fabiana Murer - Para os brasileiros terá um gostinho especial por competir em casa. Lembro que foi muito legal no Pan de 2007 ter a torcida a favor, e acredito que na Olimpíada isso não será diferente. Aqui na China o público local torcia muito. Será ótimo competir em casa e estou bem motivada.