• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após saída de Capello, Rússia anuncia Leonid Slutsky, do CSKA, como novo técnico

  • COMPARTILHE
Esportes

Após saída de Capello, Rússia anuncia Leonid Slutsky, do CSKA, como novo técnico

Moscou - Quase um mês depois de anunciar a saída do técnico Fabio Capello, a União Russa de Futebol (RFS, na sigla do país) confirmou nesta sexta-feira que Leonid Slutsky, do CSKA Moscou, é o novo treinador da seleção da Rússia. O comandante assinou um contrato de curto prazo para dirigir a seleção nacional, com a missão de tentar classificá-la para a Eurocopa de 2016.

O compromisso atual irá apenas até o fim da fase de grupos das Eliminatórias da competição europeia, em outubro, ou até a repescagem que definirá os últimos classificados para o torneio, em novembro.

Capello, nome forte cujo projeto inicial visava sua permanência no comando até a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, foi demitido após a série de resultados ruins amargados pelo país nas últimas rodadas do qualificatório europeu. E Slutsky se tornará o primeiro técnico nascido em solo nacional a comandar a seleção em nove anos, depois de ter conquistado o Campeonato Russo com o CSKA em 2013 e 2014.

Ele dividirá a função de técnico do time com o de treinador da seleção e ressaltou, por meio de nota publicada no site do clube, que "tendo em vista a difícil situação que a equipe nacional ficou, não poderia recusar a oferta". "Dirigir a seleção nacional é uma grande honra e responsabilidade", afirmou.

Slutsky assumirá uma Rússia que venceu apenas dois dos últimos dez jogos oficiais que disputou e ocupa hoje a terceira posição do Grupo G das Eliminatórias da Eurocopa, com oito pontos, metade do que possui a Áustria, líder da chave, que ainda tem a Suécia como segundo colocada, com 12 pontos.

O novo treinador da seleção também conta com o apoio do influente ministro dos Esportes da Rússia, Vitaly Mutko, que deverá ser eleito, sem oposição, o novo presidente da União Russa de Futebol em setembro. "Slutsky é precisamente o tipo de especialista capaz de completar a tarefa de alcançar a Eurocopa de 2016", disse o ministro, por meio do site oficial da RFS.

Não foram revelados detalhes financeiros do contrato firmado com Slutsky, mas é muito provável que ele receberá bem menos do que ganhava Capello, que tinha um salário anual estimado de 7 milhões de euros.

De acordo com a imprensa russa, a demissão de Capello só não aconteceu antes de julho porque a RFS mostrou não ter condições financeiras de arcar com a multa rescisória do treinador, que seria de 21 milhões de euros (cerca de R$ 73 milhões). A entidade e até políticos do país foram a público desmentir a informação, mas a verdade é que o técnico inclusive chegou a ficar meses sem receber salários.

Naquela ocasião, Capello foi demitido após três anos no comando da seleção. O renomado treinador havia sido contratado com o objetivo de comandar o país no Mundial de 2018, mas a pressão se tornou insustentável depois que a equipe sequer passou da primeira fase na última Copa, no Brasil, em 2014.