• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Árbitro reafirma ofensas de David Braz, mas admite que não viu autor de pênalti

Esportes

Árbitro reafirma ofensas de David Braz, mas admite que não viu autor de pênalti

São Paulo - O clássico do último domingo entre Corinthians e Santos segue repercutindo mais de 24 horas após seu encerramento. Não pela vitória por 2 a 0 do líder do Brasileirão em casa, no Itaquerão, mas pelo lance que resultou no primeiro gol. Vagner Love sofreu pênalti de Zeca e a infração foi acusada pelo assistente Rogério Pablos Zanardo. O árbitro Flavio Rodrigues Guerra, então, assinalou a penalidade, mas expulsou David Braz. Na súmula, relatou ofensas do zagueiro santista e, nesta segunda-feira, confirmou.

"A situação era para vermelho. Claro, a gente conversa numa boa com os jogadores, mas nem sempre o que é mostrado na tevê é o que o jogador fala. Às vezes eles chegam sem gesticular e ofendem sua moral e sua honra. Então, nem sempre a imagem aparenta o que foi falado", explicou em entrevista à ESPN Brasil. "Ele ofendeu a mim. Quando falei que o assistente me alertou (sobre o pênalti), ele foi ofender o assistente também."

A expulsou revoltou a torcida santista e David Braz, que saiu de campo reclamando muito e negando ter ofendido o árbitro. Nenhuma das imagens da tevê, de fato, mostram o zagueiro abordando de forma acintosa o árbitro, que, por sua vez, garantiu que a ofensa aconteceu logo após a marcação do pênalti. "No momento que aconteceu o pênalti, ele veio e me ofendeu moralmente."

Apesar de defender o critério usado na expulsão de David Braz, Flavio Rodrigues Guerra admitiu ter cometido um erro no lance do pênalti. O árbitro confessou que ele e seu assistente não conseguiram identificar quem havia cometido a infração e, por isso, não expulsou Zeca. Se tivesse visto o lance, teria mostrado o vermelho para ambos.

"Era um jogo difícil, clássico, mas realizamos um bom trabalho. Tivemos o lance da penalidade, o assistente me informou, aguardamos um pouco porque o atacante tenta concluir. Depois, não conseguimos identificar o atleta. Por isso, expulsamos apenas um jogador, que veio reclamar acintosamente comigo e o auxiliar depois da marcação. Se tivesse visto, teríamos duas expulsões, a do Zeca pelo pênalti, e a do David pela reclamação. Então, o erro foi não ter expulsado o Zeca", comentou

Flavio, aliás, foi categórico ao criticar Zeca. O árbitro negou que tenha sido informado pelo lateral de que ele havia sido o infrator, como o jogador santista chegou a alegar em entrevistas após o apito final, e condenou o comportamento dos atletas brasileiros com a arbitragem.

"Ninguém ajuda a arbitragem, é tudo contra. Se o jogador tivesse a humildade de reconhecer, eu na hora expulsaria o jogador correto, não haveria tanta reclamação. Ele disse que me alertou que foi ele. Como ele fala isso? Se ele tivesse falado, não haveria nenhuma polêmica hoje, porque o lance foi muito claro. Em momento algum me disse nada, sequer chegou perto de mim. É mais fácil transferir (a responsabilidade) para a arbitragem", argumentou.