• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Hamilton nega culpa por acidente com Vettel e celebra êxito em momento decisivo

  • COMPARTILHE
Esportes

Hamilton nega culpa por acidente com Vettel e celebra êxito em momento decisivo

Vencedor do GP da Itália neste domingo e líder do Mundial de Pilotos, Lewis Hamilton exaltou a rival Ferrari após o triunfo no circuito de Monza. Depois da corrida, o britânico cumprimentou a escuderia italiana pela "grande luta" e agradeceu aos poucos torcedores que o apoiaram na corrida das arquibancadas, dominada pelos ferraristas.

"Eu quero cumprimentar a Ferrari, que impôs um grande desafio neste fim de semana. Eles fizeram um trabalho incrível e nos proporcionaram uma grande luta", disse Hamilton. "Eu quero agradecer todos os rapazes aqui e em casa. Sem a confiança deles, isso não teria sido possível. Teve muita negatividade, mas tinham muitas bandeiras britânicas hoje", completou.

Com a sexta vitória nesta temporada, Hamilton, que viveu um de seus melhores momentos neste ano logo em território rival, ampliou a vantagem na liderança do campeonato para 30 pontos em relação a Sebastian Vettel, segundo colocado e que se envolveu em um acidente com o próprio britânico logo na primeira volta da prova.

Apesar da declaração de Vettel, que disse que Hamilton não deixou espaço para ele, o britânico negou ter sido culpado pelo choque entre ambos, em que o alemão levou a pior, e disse que ficou surpreso com a ação do adversário.

"Fiquei um pouco surpreso por Seb ter escolhido ir por dentro e não pelo lado de fora de Kimi e essa foi a minha oportunidade", comentou. "Eu fui pelo lado de fora e tive certeza de estar longe o bastante. Acho que tinha espaço o suficiente entre nós, ele travou, nós tocamos, foi um momento breve, danificou um pouco o carro, mas eu pude continuar", explicou.

Hamilton reconheceu que o incidente com Vettel foi fundamental para que ele pudesse ficar livre para atacar Raikkonen, então líder da prova, nas últimas voltas, e chegar em primeiro. "Aquele foi, definitivamente, um momento chave. Passar por ele era a meta imediata. Foi um enorme ponto de virada", opinou. "Aquilo, definitivamente, aliviou a pressão e significou que eu podia focar em Kimi por toda a corrida. Nós tivemos algumas boas batalhas", concluiu.

A próxima corrida da Fórmula 1 será o GP de Cingapura, em 16 de setembro. Ainda restam sete etapas até o final da temporada.