• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ashton Eaton é escolhido atleta do ano no atletismo e impede 'hexa' de Bolt

  • COMPARTILHE
Esportes

Ashton Eaton é escolhido atleta do ano no atletismo e impede 'hexa' de Bolt

Montecarlo - Genzebe Dibaba e Ashton Eaton foram escolhidos como melhores da temporada 2015 no atletismo. A fundista etíope e o decatleta norte-americano, ambos campeões mundiais em Pequim (China), foram apontados nesta quinta-feira pela Associação da Federações Internacionais de Atletismo (IAAF) como os vencedores do tradicional prêmio 'Atleta Mundial do Ano'.

Tradicionalmente os vencedores são apontados na Cerimônia de Gala da IAAF, em Mônaco, mas neste ano o evento foi cancelado porque não há muitos motivos para festa no atletismo. O ex-presidente da IAAF Lamine Diack chegou a ser preso por corrupção, o atual presidente Sebastian Coe tem sido bombardeado por denúncias contra si e a Rússia, potência da modalidade, está suspensa por doping sistemático.

Restou à IAAF, então, publicar os vencedores no seu site oficial. No masculino, o prêmio volta aos Estados Unidos depois de 16 anos, uma vez que o último a vencer havia sido Michael Johnson, recordista mundial dos 400m, em 1999.

Nunca um atleta do decatlo havia vencido o prêmio, mas Ashton Eaton este ano quebrou o tabu ao bater o recorde mundial da prova no Mundial, com 9.045 pontos. Curiosamente, ele também bateu o recorde mundial dos 400m, mas no decatlo.

A indicação de Eaton impede o "hexacampeonato" de Usain Bolt. Desde que venceu os 100m, os 200m e o revezamento 4x100m nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, o jamaicano só não foi escolhido Atleta do Ano em duas oportunidades: em 2010 e 2014, exatamente nos anos 'vazios' do atletismo, sem disputa de Mundial ou Olimpíada.

Em Pequim, Bolt levou os 100m, os 200m e o revezamento 4x100m, apesar de ter tido uma temporada de pouquíssimas provas e tempos muito abaixo do que ele está acostumado. O outro finalista do prêmio da IAAF era Christian Taylor, dos EUA, que fez o segundo melhor salto da história no triplo para ganhar o ouro no Mundial. Das oito melhores marcas de todos os tempos, três foram feitas pelo norte-americano nesta temporada.

ENFIM, DIBABA - No feminino, pela primeira vez o prêmio foi para a família Dibaba. Apesar de toda a tradição do clã, nenhuma delas nunca havia sido eleita como Atleta do Ano para a IAAF. Em 2008, quando venceu o ouro olímpico nos 10.000m e nos 5.000m, Tirunesh Dibaba perdeu o prêmio para a russa Yelena Ysinbayeva.

Agora, Genzebe já aparecia como favorita ao prêmio, uma vez que, em 2015, venceu os 1.500m no Mundial de Pequim (China), foi prata nos 5.000m e bateu o recorde mundial dos 1.500m (ao ar livre) e dos 5.000m (indoor).

Ela superou a holandesa Schippers, que recentemente migrou do heptatlo para as provas de velocidade e, em Pequim, ganhou o ouro nos 200m e a prata nos 100m, e também a polonesa Anita Wlodarczyk, que neste ano se tornou a primeira mulher a superar os 80 metros no lançamento do martelo, estipulando o novo recorde mundial em 81,08m. Wlodarczyk é tão soberana na modalidade que venceu as 11 provas que disputou ao longo da temporada.