• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Donnarumma decide, Milan bate Juventus nos pênaltis e fatura Supercopa da Itália

  • COMPARTILHE
Esportes

Donnarumma decide, Milan bate Juventus nos pênaltis e fatura Supercopa da Itália

Doha - Dois dos mais tradicionais clubes do país, Juventus e Milan fizeram uma decisão de opostos na Supercopa da Itália, em Doha, no Catar. De um lado, a Juventus hegemônica, que domina o cenário nacional há anos. Do outro, o jovem time do Milan, que tenta se reerguer e que, pelo menos nesta sexta-feira, pôde comemorar sobre o rival ao conquistar o título nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal e prorrogação.

Foi a primeira conquista do Milan desde 2011, mas muito mais do que o troféu, a vitória sobre o grande rival representou a volta por cima de um clube que viveu o fundo do poço nos últimos anos, mas quer brigar novamente entre os maiores do país e do continente. O retrato deste cenário foi o choro dos jovens jogadores após o último pênalti convertido.

E o maior símbolo deste novo Milan apareceu mais uma vez nesta sexta. No confronto de um dos melhores goleiros da história com aquele que promete alcançar este posto um dia, falou mais alto a juventude de Donnarumma. Com apenas 17 anos, o arqueiro do Milan defendeu pênalti decisivo de Dybala e foi fundamental para o título.

De quebra, o Milan ainda se igualou à própria Juventus como maior vencedor da Supercopa da Itália, com sete troféus. Ao time alvinegro, restou lamentar a derrota após ter saído na frente. A ordem, agora, é se reerguer para as oitavas de final da Liga dos Campeões e para o Campeonato Italiano, que lidera com folga.

O JOGO - A Juventus começou encurralando o Milan, apertando a marcação no campo adversário e impedindo que o rival passasse do meio de campo. Quando tinha a bola, a maior qualidade técnica de seus atletas fazia diferença, e o time criou as primeiras oportunidades.

A rápida pressão não demorou a surtir efeito. Aos 16 minutos, Higuaín recebeu na intermediária e tocou para Sturaro, que chegou finalizando para boa defesa de Donnarumma. Mas na cobrança de escanteio de Pjanic, Chiellini se antecipou à marcação e desviou de perna direita para o gol, desta vez sem chance para o goleiro.

O Milan não encontrava resposta. Praticamente não ficava com a posse de bola, e quando a tinha, parava na forte marcação da Juventus. A alternativa foi começar a tentar de longe. E foi assim que Suso criou o primeiro bom momento da equipe, aos 21, quando tentou do bico da área e a bola passou perto da trave.

O lance pareceu empolgar o Milan, que aos poucos cresceu. Com o centro da área congestionado, passou a tentar jogadas pelas laterais. Até que aos 37 minutos, Suso, mais uma vez pelo lado direito, cruzou para a área. Bonaventura se antecipou a Lichtsteiner e desviou para a rede.

Foi o suficiente para o Milan tomar o controle da partida. Na empolgação, o jovem time foi para cima e dominou o início do segundo tempo. Aos 11 minutos, quase virou, quando Romagnoli subiu sozinho após novo cruzamento da direita e desviou no travessão. A resposta da Juventus saiu três minutos depois. Higuaín puxou contra-ataque e tocou para Khedira, que arriscou de fora da área. Donnarumma fez linda defesa.

Sem criação, Massimiliano Allegri ousou e colocou o atacante Dybala em campo, na vaga de Pjanic. A alteração deu certo, a Juventus se tornou mais ofensiva, retomou o controle e voltou a encurralar o rival. Aos 31, Dybala quase marcou de fora da área. Mas aos 37, mais uma vez após cruzamento da direita, o Milan respondeu. Bacca cabeceou à queima-roupa e Buffon fez grande defesa.

A partida foi para a prorrogação, e o Milan teve a chance de fazer o segundo logo com um minuto. Bonaventura recebeu na área e finalizou firme. Buffon espalmou, e a bola sobrou para Bacca, que se atrapalhou e não conseguiu finalizar. No segundo tempo, Evra recebeu de Dybala e marcou, mas estava bastante impedido. Aos 10, Dybala perdeu a melhor chance da equipe, ao receber na marca do pênalti e isolar.

A disputa foi para as penalidades. Marchisio marcou o primeiro para a Juventus e Buffon pegou a cobrança de Lapadula. Só que na sequência, Mandzukic acertou o travessão e Bonaventura marcou. Higuaín, Kuca, Khedira e Suso, nesta sequência, cumpriram o dever. Mas Dybala, na última cobrança da Juventus, parou em Donnarumma. Restou a Pasalic acertar o chute derradeiro e dar início à festa do Milan.