Quer disciplina? Dê liberdade e autonomia!

Olá, Pais e Professores Empreendedores!

** CURTA A PÁGINA DO BLOG EDUCAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NO FACEBOOK **

Tenho ficado cada dia mais maravilhada com os resultados que temos tido com o que chamo de Educação Empreendedora (também caberia o termo Libertadora) que venho praticando com meu filho Petrus de 2 anos e 4 meses.

Ao contrário do que a maioria das pessoas esperaria, não punir, não repreender, não gritar e não reprovar tem se mostrado extremamente eficaz em proporcionar um convívio pacífico e disciplinado.

Não encarar o erro como uma transgressão a ser punida ou castigada, não invalidar ou reprovar comportamentos equivocados mas enxergar o erro como um simples comportamento precisando de direcionamento tem sido um pilar de sustentação importante no meu método.

Passamos por duas situações recentes que me impressionaram pela facilidade com que conseguimos lidar. Eu realmente fiquei surpresa!

A primeira se deu numa loja de brinquedos. Imaginava o Petrus maluquinho, querendo pegar tudo, comprar tudo e eu tendo que ficar junto dele para que não derrubasse as caixas – o que considero uma situação normal para quem decide entrar numa grande loja de brinquedos com seu filho de 2 anos e meio.

Ele ficou muito empolgado, sim e nem sabia onde ia primeiro, mas não ficou tirando as coisas do lugar nem se agarrando a brinquedos desejados como eu imaginara. Pude até olhar corredores paralelos sem ficar grudada nele e quando ouvi um barulho de algo caindo, corri para acudir e… a caixa havia sido derrubada por um adulto!

Quando disse que ele podia escolher algo para comprarmos, ele gostou de um caminhão de lixo e de um caminhão com caçamba de construção. Achei bem barato por isso decidi levar os dois.

Já nos dirigíamos para o caixa, quando ele viu um carrinho com a logomarca do filme “Carros” e quis aquele. Foi quando parei, coloquei tudo no chão – de um lado os 2 caminhões e de outro o carrinho da Disney e disse:

– Filho, este carrinho é da Disney e, por isso, muito mais caro! Com o preço dele, dá prá comprar os 2 caminhões que você gostou. Você pode escolher: quer só este carrinho ou quer os 2 caminhões?

Escolheu os 2 caminhões e fomos embora felizes.

A outra situação foi quando precisei ir ao mercado com o Petrus para fazer a compra do mês, ou seja, demorada! (Geralmente, fico com o pequeno e o pai faz este trabalho mas desta vez não havia sido possível.)

Já havia me preparado psicologicamente pensando: “Bom… comprarei o que for possível até o Petrus se cansar e volto outro dia para finalizar.”

Pegamos aquele carrinho que a criança vai embaixo como se estivesse dirigindo – e essa foi uma escolha dele – e começamos o trabalho. No corredor das guloseimas ele pegou um pacotinho de biscoitos que não quis devolver. Já havia pego outras coisas e, atendendo ao meu pedido, devolvia cada uma ao seu lugar. Mas aquele biscoito ele queria mesmo. Decidi deixa-lo levar o biscoito afinal, eu estava escolhendo tantas coisas, tudo bem deixar que escolhesse algo também.

Mais adiante ele viu o Kinder Ovo e… foi a hora da decisão:

– Filho, você quer o Kinder Ovo?

– “Quéio!”

– Então você vai decidir: o biscoito ou o Kinder Ovo?

Escolheu o Kinder Ovo e ficou “cuidando dele” até o fim das compras. Nem acredito que comprei tudo!

Já na garagem de casa quando eu estava carregando o carrinho com as compras para subir, ele quis emburrar com qualquer coisa – dado o cansaço que estava àquela altura – consegui contornar distraindo-o e fazendo se sentar no porta-malas do carro.

Prá fechar, ainda me ajudou: abriu as portas do hall e do elevador e segurou-as para eu passar com o carrinho.

UFA!!

Nosso modelo de educação tem me feito viver coisas com uma criança de 2 anos e meio e um temperamento super forte que nunca imaginei serem possíveis!

Empreenda-se!

Sucesso aos Pais e Professores Empreendedores!

Até o próximo post!

** CURTA A PÁGINA DO BLOG EDUCAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NO FACEBOOK **

Um comentário em “Quer disciplina? Dê liberdade e autonomia!”

  1. Isabela, resumo está mensagem linda que vc postou, com uma palavra bem pequena, mas com o significado bem grande…(AMOR)!!!
    É isso que faz com que nossas crianças sejam diferentes, minha pequena (Sophia), também me ensina muito, eu é que erro muito com ela…
    Imagina uma criança doce, meiga e madura, e ela só tem 8 anos.
    Acho que o fato de criar ela sozinha (sem pai), fez ela amadurecer precocemente, ela é que me ajuda quando estou triste, ela me anima, me guia, me conforta, só que ela é muito boazinha, e tenho medo que isso venha atrapalhar ela no futuro, pois ela não vê maldade nas pessoas, acredito que talvez, quando ela crescer, ela mude, mas ela é tão carinhosa e meiga, que meu coração se despedaça quando vejo ela magoada ou triste.
    Outro dia ela chegou em casa aos prantos, porque a amiguinha dela tinha saído da escola, aquilo me comoveu demais e me fez pensar novamente nessa questão, será que realmente ela vai mudar, ou isso vem dela, é o carácter dela??
    Mas mediante suas postagens, estou mudando muito minha visão sobre isso, acho que com amor, podemos mudar muitas coisas e moldar também, não vou ficar quebrando cabeça, se ela vai ser boba ou ingenua a vida toda, vou me preocupar em aproveitar essa fase e essa linda criança que ela é “hoje”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *