Educadores: Cuidado com suas perguntas às crianças.

Olá!

O que quero compartilhar hoje com você é fruto de um trabalho lindo que faço em minha empresa – BRAIN Educacional – chamado “Consultoria de Acompanhamento de Educadores”. Neste trabalho, acompanho os educadores infantis em sala por 45 minutos e, depois, fazemos mais 45 minutos de feedback com orientações direcionadas e específicas sobre o que poem fazer ainda melhor do que já fazem!

É lindo! Proporciona um crescimento impressionante!

Percebi, durante esse trabalho, que alguns educadores, com a boa intenção de estimular a participação de seus pequenos nas atividades, fazem perguntas do tipo:

“Você sabe que número é esse, Fulano?”

“Você consegue fazer isso, Ciclana?”

Sem perceber, quando colocamos na pergunta o SABER e o CONSEGUIR, estamos atingindo o nível das CAPACIDADES do ser humano. Veja a pirâmide abaixo:

Imagem17

 

Se a criança ainda não SOUBER ou não CONSEGUIR o que foi pedido, ela pode passar a crer que não tem CAPACIDADE para o que está sendo pedido. Não raro ouvimos crianças dizendo:

“Eu não sei isso…”
“Isso eu não consigo…”

Quando repetido, isso pode começar a afetar as CRENÇAS da criança sobre si mesma e suas capacidades, podendo chegar a afetar sua IDENTIDADE – sou burro, sou lento, sou ruim nisso ou naquilo.

Melhor mesmo é perguntar “O que é isso?” ou “Vamos fazer aquilo?” ficando no nível do ambiente e dos comportamentos – da pirâmide – sem entrar em níveis mais profundos do EGO da criança.

Bem importante essa consciência.

Bem importante esta reflexão.

Sucesso!

Isa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *