Guarulhos ganha equipamento que permite pousos de aeronaves em condições meteorológicas adversas

O Aeroporto Internacional de Guarulhos obteve certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar o Sistema de Pousos por Instrumentos – Categoria III-A, ou do inglês ILS (Instrument Landing System). A certificação assegura que a infraestrutura instalada possibilite a execução de procedimentos de aproximação e pouso por instrumentos em baixas condições de visibilidade e teto, por tripulações e aeronaves capacitadas.

Até junho deste ano, GRU operava com o ILS-Categoria II, que permitia pousos com visibilidade de até 400 metros. Agora, com a versão Categoria III-A, as aeronaves poderão pousar com visibilidade de até 200 metros e sem teto (zero metro). Com o ILS-Categoria III-A, os parâmetros mínimos de teto e visibilidade ficam alterados, possibilitando uma menor restrição às aeronaves e às tripulações capacitadas, diminuindo, assim, a necessidade de alternar voos para outras localidades.

Segundo o GRU Airport, grupo que administra o aeroorto, em 2014, por exemplo, o aeroporto ficou fechado por cerca de 4 horas devido às condições climáticas. Considerando que a capacidade de GRU é de 47 movimentos por hora, um eventual fechamento de 4 horas poderia afetar até 188 aeronaves.


No dia 6 de fevereiro de 2012, o consórcio formado pelas empresas Invepar (Investimentos e Participações em Infraestrutura S.A.) e ACSA (Airports Company South Africa) foi anunciado o vencedor do leilão de concessão do Aeroporto Internacional de Guarulhos, o maior do País, com movimento de 39,5 milhões de passageiros em 2014. Com a assinatura do contrato foi formada a Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A., com 51% das ações pertencentes à Grupar (grupo Invepar e ACSA) e 49%, à Infraero. Dos 51% da iniciativa privada, a Ivepar tem participação de 90% e a ACSA, de 10%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *