• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Argentina: decreto de Macri autoriza abatimento de aviões do tráfico

  • COMPARTILHE
Geral

Argentina: decreto de Macri autoriza abatimento de aviões do tráfico

Buenos Aires - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, assinou um decreto para permitir que a força aérea do país rastreie e derrube voos ilegais do tráfico de drogas, em um movimento que provocou críticas de pessoas que afirmam que ele deveria consultar o Congresso antes de tomar tais medidas.

O governo argentino anunciou nesta terça-feira que Macri assinou um decreto declarando uma "emergência de segurança" em escala nacional, cumprindo uma promessa de campanha de expandir e intensificar a luta contra o crime organizado e o tráfico de drogas no país.

O decreto dá ao governo um "intenso controle sobre o espaço aéreo" e permite que a força aérea "identifique, advirta, intimide e use força" contra aeronaves que entrem no espaço aéreo argentino de forma ilegal, disse a administração.

Abater aviões do tráfico na América Latina tem sido uma questão controversa depois que forças peruanas derrubaram uma pequena aeronave que transportava missionários norte-americanos em 2001, provocando a suspensão dessa política.

O decreto foi o último de uma série de medidas controversas de Macri, que tem sido acusado de passar por cima do Congresso para atingir seus objetivos políticos. No mês passado, o presidente tentou contornar o Congresso ao usar um decreto para nomear dois juízes da Suprema Corte, criando uma reação generalizada, mesmo entre muitos dos que o apoiam.

Nesta quarta-feira, críticos afirmaram que Macri deveria ter trabalhado com o Congresso dessa vez, especialmente porque o decreto permite que o governo derrube aviões.

"Políticas relacionadas à segurança e à luta contra o tráfico de drogas não podem ser escritas por decreto", disse a deputada Margarita Stolbizer, em um mensagem no Twitter. "Países que têm derrubado leis não diminuírem o problema do narcotráfico", completou. Fonte: Dow Jones Newswires.