• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mulher é condenada a pagar R$ 2 mil por ofensa no WhatsApp

  • COMPARTILHE
Geral

Mulher é condenada a pagar R$ 2 mil por ofensa no WhatsApp

A decisão foi publicada na última quarta-feira (24) no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG)

Uma mulher vai ter que pagar R$ 2 mil a um homem por chamá-lo de 'advogado de porta de cadeia' e 'advogado de meia tigela' em um grupo de WhatsApp. A determinação foi juíza Lucélia Alves Caetano Marçal, Juizado Especial de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).

De acordo com informações do órgão, o grupo possuía 24 integrantes, que eram ex-alunos de um curso de História. O homem se sentiu ofendido, porque é graduado em Direito e exerce a profissão, reconhecendo os integrantes do grupo como clientes em potencial. Na defesa, a mulher alegou que o caso foi "um mero aborrecimento ou dissabor, não restando caracterizado ato ilícito que gere direito a reparação pretendida".

Decisão

Para justificar sua decisão, a juíza alegou que a ofensa causou constrangimento e que comentários como este em ambientes virtuais podem denegrir a imagem de um pessoa.

Leia abaixo a sentença na íntegra:

"Sopesadas as considerações, é preciso analisar se as postagens juntadas aos autos pela parte autora, extrapolaram o direito à liberdade de expressão constitucionalmente assegurados a todos. Entretanto, observando os conteúdos das postagens em questão, não restam dúvidas da ofensividade, o que de certo causaram enormes constrangimento e indignação à parte autora, atingindo a sua esfera moral. Assim demonstrado que a atitude da parte ré, ao postar comentários desabonadores em ambiente virtual, denegriu a imagem da parte autora perante a sociedade, impõem a parte ré o dever de reparar o dano moral suportado pela parte autora. E, como já dito, nos dias atuais, publicações em ambientes virtuais podem ter um alcance ilimitado, sendo crível, então, que a parte autora teve a sua reputação abalada em razão da conduta da parte ré".

Portal R7!