• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Trecho onde família foi morta em Vila Velha é tranquilo, segundo inspetor da PRF

Geral

Trecho onde família foi morta em Vila Velha é tranquilo, segundo inspetor da PRF

O acidente aconteceu durante a madrugada desta segunda-feira quando o carro onde as vítimas estavam bateu em uma carreta

O grave acidente que matou uma criança de cinco anos, a avó e a tia dela aconteceu na BR-101, no quilômetro 316, na altura de Xuri, em Vila Velha. De acordo com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Willys Lyra, esse trecho é considerado tranquilo. Em todo ano de 2017 foram registrados dois acidentes com uma vítima ferida.

“É um trecho que não é considerado crítico comparado a outros que temos divulgado, mas não deixa de ser um trecho que requer atenção do motorista. As nossas equipes, em conjunto com a perícia da Polícia Civil, têm feito o levantamento e o serviço ainda continua para descobrir as causas do acidente. Nós precisamos de mais informações para concluir a nossa ocorrência”, disse o inspetor.

>> “Não imaginei que teria perdido a minha família quase toda”, diz pai de criança morta em acidente

De acordo com Lyra, a princípio a informação que a PRF tem é de que o veículo onde as vítimas estavam seguia numa velocidade acima da que é permitida na via. “Nós temos uma informação preliminar de que o caro estava com velocidade incompatível para o local, que é uma curva e precisa de velocidade reduzida. Os vestígios nos indicam que houve uma velocidade incompatível. Nós identificamos marcas no asfalto, a posição final do veículo após a colisão, isso nos ajuda a identificar a causa. Por isso precisamos analisar todos os vestígios que ficam na via após o acidente”, informou.

Sobre a falta de duplicação, o inspetor destacou que há necessidade de melhorias. “Eu não tenho dúvida de que melhorias. Todas são bem vindas. Nós precisamos de duplicação, de passarela, de mais radares, mas se com tudo isso nós não tivermos uma melhor direção, a educação tem que prevalecer, não importa se a via é duplicada ou não. O condutor tem que andar na velocidade regulamentada para a via, respeitar o código de trânsito na sua integralidade”, afirmou.