• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após ser interditada por duas semanas, Praia de Camburi volta a ser liberada para banho

  • COMPARTILHE
Geral

Após ser interditada por duas semanas, Praia de Camburi volta a ser liberada para banho

Constatação é da pesquisa semanal de balneabilidade, que apontou que todos os nove pontos analisados ao longo da orla estão aptos a receberem banhistas

Segundo pesquisa de balneabilidade divulgada nesta quinta-feira, toda a orla de Camburi está própria para banho Foto: ​Divulgação

Após ficar completamente interditada para banho durante duas semanas consecutivas, por conta do alto nível de contaminação na água, a Praia de Camburi, em Vitória, voltou a ser considerada própria para banho. A constatação é da pesquisa semanal de balneabilidade, divulgada nesta quinta-feira (25), que apontou que todos os nove pontos analisados ao longo da Praia de Camburi estão aptos a receberem banhistas.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente de Vitória, Luiz Emanuel Zouain, houve uma queda drástica na concentração de coliformes fecais na água do mar de Camburi, da semana passada para esta. "Na aferição da semana passada, tivemos pontos, no meio da praia, que estava dando 2.040 unidades de coliforme fecal por 100 ml de água coletada. Esta semana nós temos pontos em que há apenas duas unidades. Ou seja, passamos de 2.040 para 2", destacou Zouain, em entrevista para o programa Fala Espírito Santo, da TV Vitória/Record.

Para o secretário, vários fatores contribuíram para a mudança de cenário. No entanto, ele destaca como causa principal a diminuição da quantidade de esgoto que foi lançada ao mar. "Todo alerta que foi estabelecido, nos últimos dias, criou um ambiente onde aqueles que possivelmente estão transgredindo as leis e emitindo muito esgoto passaram a tomar mais cuidado. Tem gente preocupada em ser pega em flagrante jogando esgoto excessivo dentro das nossas águas", frisou.

Segundo o secretário, a principal causa da redução da contaminação da água da Praia de Camburi foi a menor quantidade de esgoto despejada no mar Foto: ​TV Vitória

Os outros pontos levantados pelo secretário como possíveis causas da melhora da qualidade da água em Camburi foram os movimentos das marés, a ausência de chuva e a menor quantidade de banhistas na praia. 

"É possível que a água tenha sido renovada através do movimento das marés. Como o coliforme fecal é uma bactéria muito tolerante, ele fica sobre a superfície e suporta calores excessivos. Portanto essa maré deve ter mudado. Além disso, no último mês não choveu. E quando não chove, a água deixa de entrar pelas galerias pluviais e carregar com ela, para os nossos mares, dejetos de esgoto. Outro fenômeno é que, nos últimos dias, atendendo a um apelo que nós fizemos para as pessoas se afastarem da água, já que havia risco para a saúde humana, não temos ninguém se banhando em Camburi. Criou-se um clima de mobilização, as pessoas compreenderam e não foram [à praia]. E sem gente na água, a contaminação é menor", salientou.

Com o resultado da pesquisa de balneabilidade desta semana, Luiz Emanuel Zouain garantiu que atualmente nenhum ponto de Camburi está impróprio para banho. No entanto, o secretário disse que ainda não pode sinalizar, por meio de placas informativas, que a praia está apta a receber banhistas.

"Em todas as placas continuará escrito "imprópria para banho". Isso porque a resolução federal do Conama [Conselho Nacional do Meio Ambiente] nos obriga a garantir segurança aos nossos moradores. E na semana passada tivemos um nível grande de coliforme fecal. Nesta semana baixou, mas, para segurança total, nós precisamos esperar a aferição da próxima semana. Ao se confirmar o que aconteceu nesta semana, a gente troca [as placas]. Mas hoje podemos dizer que a água está própria para banho", ressaltou.

Ainda de acordo com o secretário, além de Camburi, os outros pontos da capital tiveram significativa redução nos níveis de contaminação. "A gente teve, nas últimas semanas, dados que fugiram da nossa série histórica e que nos surpreenderam. Dessa vez, o que estamos apresentando hoje também nos surpreende, mas de forma positiva, porque reduziu, em muito, o nível de coliforme fecal por amostragem d'água nos 25 pontos analisados", destacou.