• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ministro sírio faz ameaças contra potenciais tropas estrangeiras

Geral

Ministro sírio faz ameaças contra potenciais tropas estrangeiras

Damasco - O ministro do exterior da Síria, Walid al-Moallem, alertou neste sábado que tropas terrestres estrangeiras que entrarem em seu país "voltarão para casa em caixões de madeira". O comentário foi feito após a Arábia Saudita dizer, nesta semana, que estaria disposta a enviar tropas como parte da campanha militar liderada pelos Estados Unidos contra o Estado Islâmico. O grupo controla extensas áreas da Síria e do Iraque.

"Qualquer intervenção terrestre na Síria sem o consentimento do governo seria considerada uma agressão que seria combatida por todos os cidadãos sírios", afirmou, em coletiva de imprensa. "Eu lamento dizer que eles vão voltar para casa em caixões de madeira".

Os comentários de Al-Moallem fecham uma semana em que se viu o colapso dos esforços liderados pela ONU para iniciar negociações de paz entre o governo sírio e uma delegação da oposição, em Genebra. As negociações não deram certo em grande medida por causa das ofensivas do governo sírio nos arredores de Aleppo. As ofensivas, que têm por objetivo cercar os redutos rebeldes na cidade, foram apoiadas por intensos ataques aéreos russos e levaram milhares de residentes locais a fugir em direção à fronteira turca.

Para Al-Moallem, os avanços do governo sinalizam que a guerra na Síria está chegando ao fim. "Eu posso dizer, pelas conquistas das nossas forças armadas, que estamos no caminho certo para acabar com o conflito", disse. "Nossas conquistas no campo de batalha indicam que nos estamos em direção ao fim da crise."

Representantes da oposição disseram que não se pode esperar para negociar em Genebra num momento em que o governo sírio e seus aliados aumentam os ataques aos redutos rebeldes. Al-Moallem, por sua vez, alegou que a oposição não quer negociar seriamente. "Eles não vêm para dialogar, eles não têm tais ordens". Segundo o ministro, o governo sírio está pronto para conversar, mas sem precondições.

Fonte: Associated Press