• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após acidente, caminhoneiro afirma que BR 259 não estava bem sinalizada

Geral

Após acidente, caminhoneiro afirma que BR 259 não estava bem sinalizada

Segundo o caminhoneiro, apenas parte da rodovia estava bloqueada e ele não tinha conhecimento da interdição causada pelas pedras

Iures Wagmaker

Redação Folha Vitória
Parte do bloqueio da rodovia havia sido removido do local | Foto: Leitor / Whatsapp Folha Vitória

Na última terça-feira (13), um motorista bateu com o caminhão nas pedras que estão interditando um trecho da BR 259 desde o último dia 6. 

O caminhoneiro Adão Paulino Martins, 53 anos, que dirigia o veículo no momento do acidente, afirmou que não sabia da interdição. Ele mora em Ibatiba, e seguia no sentido para Baixo Guandu para Colatina quando tudo aconteceu. "Não tinha como eu saber. Haviam várias pessoas passando e vários carros. Alguém, de má fé, tirou o bloqueio do lugar", disse.

De acordo com o condutor, no acesso ao local onde se encontram as pedras, havia bloqueio em apenas um lado da pista. Como ele não tinha conhecimento da interdição, ele seguiu. "Em cima da ponte, tinha vários cones amontoados e metade da pista não estava com sinalização", alega.

O caminhão conduzido por ele era o primeiro de um comboio com outros quatro veículos. Todos seguiram pela rodovia e, no momento do acidente, uma das preocupações do caminhoneiro foi a de o fato ter sido pior. "Me preocupei de os meus colegas baterem atrás do meu caminhão e acabarem me esmagando. Por isso saí [do veículo] o mais rápido que pude. Foi um livramento do Senhor", conta.

Evangélico, o motorista afirma não fazer uso de bebidas alcoólicas e nem ter tomado nada para se manter acordado durante a viagem. Segundo ele, estava descansado. "Saí de casa a tarde. Não precisava tomar arrebite para ficar acordado. O problema foi a falta de sinalização".

Com o impacto da batida, o caminhão, que era a ferramenta de trabalho do senhor Adão, ficou destruído. Mesmo assim, o caminhoneiro ainda não sabe o que fazer. "Minha cabine já era. Vou ver direito o que faço, pois tenho testemunhas de que eu não estava errado", afirma.

Procurada pela reportagem, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (Dnit) informou que após a definição da interdição da rodovia, foi providenciada a instalação de blocos de concreto para impedir a passagem de veículos e pedestre e a instalação de placas de advertência (pista interditada) em pontos relevantes da BR 259/ES.

Interdição

A interdição total da pista aconteceu na localidade de Itapina, em Colatina quando pedras rolaram e atingiram um caminhão. Servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (DNIT) estão fazendo a remoção das pedras mas não há previsão de quando a pista será liberada.

Em outro ponto da rodovia, perto do lixão, também em Colatina, a pista no sentido Vitória continua interditada por conta de um deslizamento de encosta. As informações são da PRF, que aponta um trecho alternativo para automóveis pela Rodovia Estadual 446, que passa por Baixo Guandu e Itaimbé. Ela tem parte pavimentada e parte em estrada de chão. Para caminhões pesados, a PRF sugere o trecho entre as cidades de Santa Teresa e Itaguaçú e Santa Teresa.