• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Arcebispo de Vitória viaja para Roma para acompanhar missa em homenagem a Anchieta

  • COMPARTILHE
Geral

Arcebispo de Vitória viaja para Roma para acompanhar missa em homenagem a Anchieta

O Arcebispo de Vitoria, Dom Luiz Mancilha Vilela, viaja na manhã desta segunda-feira (21) para Roma para acompanhar a missa em ação de graças pela canonização do santo José de Anchieta. A missa será realizada na próxima quinta-feira (24)

De acordo com o arcebispo, o convite para a missa foi feito pelo próprio Papa Francisco. A viagem foi anunciada por Dom Luiz, no último domingo (20), durante celebração no Convento da Penha, em Vila Velha.

Dom Luiz afirmou ainda que retornará até o próximo sábado (26) para acompanhar a Romaria dos Homens, que faz parte da programação da Festa da Penha. 

Canonização

O Padre Anchieta foi beatificado pelo papa João Paulo II, em Roma, em 22 de junho de 1980. O processo durou 417 anos e foi um dos mais longos da História. O santo José de Anchieta foi canonizado no dia 03 de abril deste ano. A canonização chegou a ser marcada para o dia 02 de abril, mas precisou ser adiada. O fato foi divulgado com exclusividade pela TV Vitória/Rede Record direto de Roma.

José de Anchieta nasceu em 19 de março de 1534 em Tenerife, nas Ilhas Canárias, na Espanha. Era primo do fundador da Companhia de Jesus, Santo Inácio de Loyola, onde ingressou em 1551. Chegou ao Brasil em 1553, aos 19 anos, por iniciativa do Padre Manuel da Nóbrega, que precisava de reforço para a evangelização no país.

No Brasil, José de Anchieta percorreu vários Estados, como Bahia, São Paulo e Espírito Santo. Foi criador do Colégio de Piratininga, inaugurado em 25 de janeiro de 1554 e que deu origem à cidade de São Paulo. O jovem jesuíta catequizou índios, fundou e construiu povoados, colégios e igrejas. Também lutou contra invasores franceses no Espírito Santo e fundou e dirigiu o Colégio dos Jesuítas em Vitória.

Sua disposição em caminhar fazia com que ele, pelo menos duas vezes por mês, percorresse a trilha litorânea entre Iririgtiba (atual balneário de Iriri) e Vitória, com pequenas paradas para pregação e repouso em Anchieta, Guarapari, Setiba, Ponta da Fruta e Barra do Jucu.

Essa caminhada é feita por fiéis até hoje, todos os anos, sob a denominação de Passos de Anchieta. São 105 quilômetros percorridos a pé por andarilhos de todo o Brasil e do exterior, a exemplo do que acontece com o Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha.