• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Novos atos contra corte de verbas na educação reúnem mais de 7 mil pessoas em Vitória

Geral

Novos atos contra corte de verbas na educação reúnem mais de 7 mil pessoas em Vitória

Segundo a Polícia Militar do Espírito Santo, que acompanhou as manifestações, mais de 7 mil pessoas participaram dos atos

Foto: Iury Demuner

Professores, estudantes e funcionários de escolas públicas e particulares continuaram protestando contra o corte de verbas na educação e a reforma da Previdência na tarde e noite desta quarta-feira (15) em Vitória. A manifestação foi uma convocação nacional, que ocorreu desde a manhã desta quarta-feira em vários estados.

Na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Goiabeiras, e no Instituto Federal do Estado (Ifes), em Jucutuquara, ocorreram novos atos, que tiveram início por volta das 16h. De acordo com informações passadas pelo Capitão Sidney, da Polícia Militar, cerca de 7,5 mil pessoas participaram do atos.

>> Leia também: Cortes na educação: professores, alunos e grupos sindicais protestam no Espírito Santo

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), os manifestantes se deslocaram para a Assembleia Legislativa do Estado (Ales), na Américo Buaiz, na Enseada do Suá, em Vitória. Segundo a polícia, a dispersão ocorreu por volta das 20h.

De acordo com informações da Central de Videomonitoramento da Guarda Municipal, o trânsito ficou complicado na avenida Fernando Ferrari, no sentido Centro; na rua Dona Maria Rosa, na região da Ponte da Passagem; e também na avenida Vitória, no sentido Serra.

Veja a galeria de fotos das manifestações:

Manifestações pela manhã

A concentração dos manifestantes começou por volta das 8h30 na Praça do Papa, em Vitória. Por volta das 10h os manifestantes saíram em direção à Assembleia Legislativa (Ales).

Segurando cartazes, os manifestantes fecharam as duas vias da Avenida Américo Buaiz, na altura da Ales. O transito foi bloqueado e o protesto terminou por volta das 12h.

O protesto geral nesta quarta-feira foi um ato nacional, convocado por entidades ligadas a movimentos estudantis, sociais e a partidos políticos e sindicatos. A principal queixa é o bloqueio de quase 30% no orçamento de instituições federais de ensino de todo o país.

Na Ufes não teve aulas na maior parte dos cursos. Nesta quarta-feira, os estudantes trocaram as salas pelas áreas externas do campus. Uma das ações realizadas foi a primeira mostra balburdia universitária. Estudantes e professores apresentaram trabalhos que são resultados de pesquisas e projetos de extensão nas mais diversas áreas, com o objetivo de mostrar a riqueza da produção universitária.

Participação

Mais de 60 municípios capixabas confirmaram presença na manifestação. De acordo com o Sindiupes, foi aprovada paralisação nas redes municipais de Anchieta, Cariacica, Fundão, Guarapari, Ibiraçu, Piúma, Santa Leopoldina, Serra, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Velha e Vitória.

Uma assembleia geral da rede estadual de ensino aconteceu às 8 horas, no ginásio do Álvares Cabral, em Bento Ferreira. Os participantes aguardam a chegada de pessoas de outras cidades do Espírito Santo. O movimento também tem apoio de profissionais da rede particular, estudantes dos ensinos médio e superior, professores e funcionários da UFES e IFES, petroleiros, entre outras categorias e diversas entidades sindicais e movimentos sociais.

São Mateus

Foto: Divulgação / PRF


No km 61 da BR-101 Norte, manifestantes interditaram totalmente o trecho, em São Mateus, e colocaram fogo em pneus. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os participantes do ato liberaram veículos de emergência, ambulâncias, mulheres grávidas ou pessoas com alguma urgência para resolver.

A manifestação no local começou por volta das 8 horas e encerrou por volta das 11 horas. De acordo com a PRF, o fogo foi apagado antes das 10 horas.