• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Estudante criada em Guarapari trabalha como babá para participar de estágio internacional

Geral

Estudante criada em Guarapari trabalha como babá para participar de estágio internacional

Camila Ferreira Mariani, de 23 anos, é estudante de medicina na Universidade Vila Velha (UVV) e participará de um estágio na República Tcheca em janeiro do ano que vem.

Foto: arquivo pessoal
Camila Ferreira Mariani está no 7º período do curso de medicina.

Em busca de aprendizado, a estudante de medicina Camila Ferreira Mariani teve uma grande ideia. A capixaba, que foi criada em Guarapari e atualmente mora em Vila Velha por causa dos estudos, foi selecionada pela International Federation of Medical Student’s Association (IFMSA) para participar de um estágio internacional na República Tcheca e, para arcar com os custos da viagem, está oferecendo serviços como babá e cuidadora de cachorros.

Camila contou que a ideia surgiu após ser selecionada para o estágio, onde concorreu com alunos de todo o Brasil. De acordo com a estudante, os custos com passagem, seguro viagem e alimentação são de responsabilidade do candidato. “Eu vi que minha família não conseguiria bancar com os custos que eu terei lá, por isso comecei a idealizar formas de conseguir esse recurso”, explicou.

A estudante então passou a oferecer os serviços de babá e cuidadora de cachorros, divulgando entre amigos e principalmente nas redes sociais. Para complementar a renda, Camila também começou a fazer doces para vender na faculdade.  “É muito difícil conseguir um estágio internacional na medicina, por isso eu vi que eu tinha que fazer valer a pena o que eu conquistei. Eu tenho muito medo de não conseguir o dinheiro para viajar, e isso é o que me motiva a não relaxar”, declarou.

Foto: arquivo pessoal
A estudante participará do estágio na República Tcheca em janeiro do ano que vem.

Camila explicou que, antes de começar as atividades como babá, já teve experiências no setor pediátrico, o que facilita o relacionamento com as crianças. “Eu fiz pesquisas sobre isso e sempre cuidei dos meus primos pequenos. Além disso, eu gosto muito de crianças, então é unir o útil ao agradável”, disse.  A estudante explicou que, antes do dia marcado para cuidar dos pequenos, costuma fazer uma ambientação na casa da família. “Se eu combinei de cuidar delas no sábado, eu vou até a casa deles na sexta-feira para brincar um pouquinho com os pequenos, porque Isso cria uma interação com a criança”, destacou.

Questionada sobre a rotina intensa da faculdade, a menina, que está no 7ª período do curso, disse que buscou maneiras de conciliar os estudos com as novas tarefas. “O meu curso é integral, mas eu fiz um esquema para encaixar essas atividades nas minhas horas vagas”, contou. A estudante disse que aceita serviços tanto em Vila Velha como em Guarapari. “Eu vou para Guarapari quase todo final de semana, então moradores do município também podem entrar em contato comigo”, afirmou.

Uma das áreas que Camila escolheu para trabalhar no hospital foi no setor de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). De acordo com ela, a escolha do setor surgiu por causa do desejo de adquirir aprendizado. “A medicina é baseada nos estudos, mas principalmente na prática. Não adianta eu ir para o outro lado do mundo se eu não sugar tudo que eu puder de lá. Eu acredito que na UTI eu vou ter acesso a mais experiências, métodos e conhecimentos específicos”, argumentou.

A estudante contou que agora vive um mistura de alegria e ansiedade, mas acredita que está no caminho certo. “Eu não estou parada esperando cair tudo do céu, mas estou deixando tudo nas mãos de Deus. Porque eu não quero me formar só por formar, não quero ser só mais uma médica. Quero fazer a diferença. Acredito que essa oportunidade que estou tendo vai me agregar como pessoa e como profissional”, concluiu.

Serviço

Instagram: @camilafmariani

Texto: Sara de Oliveira