• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Manifestantes liberam pista no Contorno após três horas de protesto contra desocupação

Geral

Manifestantes liberam pista no Contorno após três horas de protesto contra desocupação

As famílias que voltaram a ocupar terreno após mega ação policial de reintegração bloquearam a BR-101, na Serra, desde às 7 horas desta quinta-feira

Uma enorme fila de carros se formou durante a manhã, mas segunda a PRF, o trânsito já foi liberado Foto: Marcelo Rosa/TV Vitória

Após quase três horas de interdição na Rodovia do Contorno na manhã desta quinta-feira (18), próximo a Jardim Carapina, na Serra, manifestantes liberaram as pistas, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O congestionamento chegou a aproximadamente 8 km nos dois sentidos da via, causando reflexos no trânsito até o município de Cariacica durante a manhã.

O protesto é contra a desocupação de um terreno localizado às margens da rodovia, onde moravam cerca de 6 mil pessoas. Na última terça-feira (16) uma mega ação realizada por mais de 220 policiais  retirou as famílias do local. Mas nesta quarta-feira (17), os ocupantes do terreno voltaram ao local e se recusam a sair de lá. Os proprietários da área providenciaram a escavação de uma vala de mais de 1 metro para tentar coibir o retorno dessas pessoas. Mesmo assim, os ocupantes improvisaram uma ponte de madeira e estão voltando ao terreno para demarcar mais partes dos lotes.

A desocupação

Um a um os barracos foram destruídos por tratores. Fotos: Reprodução/TV Vitória

A desocupação do terreno de dois milhões de metros quadrados, que equivale a 242 campos oficiais de futebol, terminou com 11 pessoas detidas, na última terça-feira. 

A polícia usou até um helicóptero para garantir cumprimento de mandado de reintegração de área, na Rodovia do Contorno. O terreno estava invadido, há 15 dias, por seis mil pessoas.

Os barracos foram destruídos um a um. Uma verdadeira operação de guerra foi montada para garantir o cumprimento dos mandados de reintegração de posse da área expedidos pela Justiça a favor dos quatro proprietários do terreno. A ofensiva reuniu 40 policiais rodoviários federais e 180 policiais militares.