• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Aposentado se diz enganado por farmácia que vendeu feijão dentro de frasco de remédio em VV

Geral

Aposentado se diz enganado por farmácia que vendeu feijão dentro de frasco de remédio em VV

Segundo a receita, o medicamento era de dez miligramas. A caixa, segundo o aposentado estava lacrada, mas o lacre estaria frouxo e a película protetora estava furada

Ao invés do medicamento, o aposentado se surpreendeu com feijão Fotos: Aghata Avanza/WhatsApp Folha Vitória

Por essa nenhum paciente esperava: um homem se surpreendeu após comprar um remédio em uma farmácia do bairro Itapoã, em Vila Velha, no último final de semana. Ao abrir o pote do medicamento, o aposentado Fernando Moraes encontrou grãos de feijão ao invés do remédio.

O feijão preto é um ingrediente de receitas saborosas. Mas causou uma forte indigestão porque veio por uma receita, que não era culinária, mas médica. O aposentado afirma que foi à farmácia, pediu um analgésico para o filho que estava com dores na coluna, pagou e o levou para casa. Mas quando o filho abriu a caixa... a surpresa! Moraes disse que no lugar de comprimidos, havia doze feijões.

"Quando abrimos o pote, ele já estava violado e dentro tinha doze caroços de feijão preto. Um absurdo", diz o aposentado Fernando Moraes.

A farmácia teria dito que o fato já havia acontecido com outros clientes Foto: Reprodução/TV Vitória

Segundo a receita, o medicamento era de dez miligramas. A caixa, de acordo com o aposentado estava lacrada, mas o frasco era de vinte miligramas. O lacre estaria frouxo e a película protetora, furada. "Voltei na farmácia, chamei a pessoa que me vendeu e com os funcionários da farmácia eles disseram que isso estava acontecendo frequentemente. Eles disseram que iam me dar um novo frasco do remédio", conta Moraes.

Na farmácia, o aposentado se assustou ao saber pelos atendentes que essa situação é recorrente. O estabelecimento ficou com o produto e prometeu resolver o caso. Horas depois, um funcionário do estabelecimento ligou para a família. Mas, não foi para trocar a mercadoria. "Eles me disseram que era pra eu tomar providência junto ao laboratório porque o remédio passou no caixa lacrado e eles não tinham o que fazer", completou Moraes.

Depois do telefonema, pai e filho, indignados, retornaram à farmácia, que fica em Itapoã, em Vila Velha. Foi aí que a situação chegou ao limite. Segundo a família, o gerente da loja não resolveu o problema e se negou a devolver as embalagens do medicamento violado. Os ânimos ficaram exaltados e os clientes só conseguiram receber o produto comprado de volta depois de ameaçarem chamar a polícia.

Aposentado: "Quando abrimos o pote, ele estava violado tinha doze caroços de feijão dentro" Foto: TV Vitória

No dia seguinte, a farmácia entrou em contato com Moraes oferecendo um novo medicamento ou o ressarcimento do valor pago, R$ 161, mas para o aposentado a farmácia deveria ter resolvido o problema imediatamente e evitado o constrangimento. Agora, a família quer que a empresa pague por danos morais.

Os laboratórios Zodiac e a Mundifarma, responsáveis pelo medicamento Oxycontin no Brasil, informaram, em nota, que disponibilizaram o reembolso do produto por meio da farmácia onde foi efetuada a compra. Os laboratórios disseram também que possuem diretrizes rígidas para garantir a qualidade, segurança e eficácia dos produtos e estão investigando o caso junto as autoridades competentes.

A equipe de reportagem da TV Vitória também entrou em contato com a farmácia onde o medicamento foi comprado, mas a empresa disse que não se pronuncia sobre o caso.