• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após rompimento de barragem três municípios do Espírito Santo podem ser atingidos por enchentes de lama

  • COMPARTILHE
Geral

Após rompimento de barragem três municípios do Espírito Santo podem ser atingidos por enchentes de lama

Alerta é do CPRM, que informou que antecipou para esta sexta o início da operação 24 horas de monitoramento contínuo do Sistema de Alerta da Bacia do Rio Doce

Municípios capixabas podem ser atingidos por mar de lama por causa do rompimento das barragens em Mariana Foto: R7

Três municípios do Espírito Santo correm risco de serem atingidos por uma enchente de lama em decorrência do rompimento das duas barragens da Samarco no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, região central de Minas Gerais. São eles Baixo Guandu, Colatina e Linhares, nas regiões noroeste e norte do Estado. Segundo alerta do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o pico da enchente deverá chegar a Colatina na tarde de segunda-feira (09) e a Linhares entre a noite de segunda e a madrugada de terça-feira (10).

O CPRM informou ainda que antecipou para esta sexta-feira (06) o início da operação 24 horas de monitoramento contínuo do Sistema de Alerta da Bacia do Rio Doce, que abrange diversos municípios do leste de Minas Gerais e do Espírito Santo.

De acordo com o CPRM, o sistema tem como objetivo alertar 15 municípios da bacia quanto ao risco de ocorrência de enchentes, entre eles os três capixabas. Em Minas, as cidades que correm risco são Ponte Nova, Nova Era, Antônio Dias, Coronel Fabriciano, Timóteo, Ipatinga, Governador Valadares, Tumiritinga, Resplendor, Galiléia, Conselheiro Pena e Aimorés.

Segundo o Serviço, neste final de semana equipes técnicas de campo e de escritório estarão mobilizadas para acompanhar o evento ao longo da calha do Rio Doce, monitorando os níveis do rio 24 horas em tempo real. O início da operação estava previsto para o dia 23 de novembro, mas entrou em caráter de urgência para acompanhar a evolução da onda de cheias provocada pelo rompimento das barragens.