• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Motoristas param ônibus em protesto e pontos ficam lotados em Cachoeiro

Geral

Motoristas param ônibus em protesto e pontos ficam lotados em Cachoeiro

Depois de quase duas horas em negociação com a diretoria da empresa Flecha Branca, e a definição de pagamento para o sábado (30), os funcionários voltaram ao trabalho com a promessa de parar novamente, caso não recebam

Os motoristas da Viação Flecha Branca, responsável pelo transporte coletivo em Cachoeiro, cruzaram os braços e estacionaram os ônibus na Linha Vermelha, região central da cidade, em protesto pelo não pagamento da segunda parcela do 13º salário. A paralisação pegou os usuários de surpresa e o resultado foram pontos lotados por toda a cidade.

De acordo com os motoristas, a empresa não pagou a segunda parcela do 13º salário. “Vamos continuar parados, até que nos paguem. Nenhum ônibus sairá da Linha Vermelha”, disse um motorista, que preferiu não se identificar. O Sindicato dos Motoristas não foi comunicado sobre a paralisação e não teve participação no movimento, mas garante que apoia os trabalhadores.

Segundo o gerente de tráfego da empresa, Renato Borges, apesar da crise enfrentada em 2017, os funcionários estão com os salários em dia. “Eles não estão com os salários atrasados. O pagamento da segunda parcela do 13º salário está marcado para a próxima terça-feira (2), e eles foram comunicados. Não há necessidade disso”, comenta.

Os diretores da empresa se reuniram com os motoristas, na Linha Vermelha, e por volta das 17h50, o movimento chegou ao fim e os ônibus voltaram a circular. A diretoria garantiu o pagamento da segunda parcela do 13º salário para o sábado (31), e será feito em mãos na sede da empresa. No entanto, os motoristas afirmam que se não cumprirem a garantia, os ônibus vão parar novamente.

Transtornos

Os passageiros foram pegos de surpresa com a paralisação. “É direito deles fazer greve, mas é nosso direito também ser informados sobre a paralisação. Vi, à rua resolver umas coisas e deixei meu filho com minha irmã, e agora não tenho como voltar para casa”, comentou uma dona de casa, moradora do bairro Aeroporto.

Outros apoiaram o movimento. “Tem que parar mesmo. Infelizmente, no Brasil as coisas só funcionam assim. Se a empresa tem o dinheiro para pagar no sábado, porque já não pagou nesta sexta-feira? O trabalhador não merece trabalhar até o último dia do ano e não receber o que tem direito”, pontua uma secretária, que mora no bairro IBC.

Por causa da paralisação, a Linha Vermelha ficou totalmente interditada e os agentes de trânsito tiveram que orientar os motoristas, que não gostaram do movimento às vésperas de um feriado prolongado. “As pessoas estão saindo do trabalho para pegar estrada e outras vieram à rua para resolver alguma coisa que ficou faltando. Atrapalha os passageiros e atrapalha mais ainda o trânsito”, completa um empresário, que reside no bairro Santo Antônio.