• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Adolescente é morto por outros jovens com golpes de machado

  • COMPARTILHE
Polícia

Adolescente é morto por outros jovens com golpes de machado

Um vídeo que mostra o momento em que o jovem é executado circula pelas redes sociais. A filmagem não será divulgada por conter cenas fortes

O crime aconteceu no dia 30 de dezembroFoto: Reprodução

O adolescente Wesley Tiago de Sousa Carvalho, 17 anos, foi morto por um grupo de pelo menos cinco jovens a golpes de machado e outros objetos cortantes, além de pedradas. Segundo a Polícia Civil do Estado do Ceará, o crime aconteceu no dia 30 de dezembro, no bairro Praia do Futuro, em Fortaleza (CE).

As informações são do R7, que teve acesso ao vídeo que está circulando em grupos de redes sociais, que mostra o momento em que o jovem é executado. A filmagem não será divulgada por conter cenas fortes.

Além das imagens, circula uma mensagem que o crime teria sido promovido pela facção criminosa cearense GDE (Guardiões do Estado).

A SSPDS-CE (Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará) disse que o caso está sendo investigado pela DHPP (Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa) da Polícia Civil. A princípio, a polícia descartou apenas a possibilidade de o crime ter sido motivada por preconceito ou discriminação de gênero.

Questionada pela reportagem sobre a possibilidade de o crime ter sido motivada por conflito entre facções rivais, a pasta não retornou.

Massacre de adolescentes

Há menos dois meses, em 13 de novembro, quatro adolescentes com idades entre 12 e 17 anos foram retirados do Centro de Semiliberdade Mártir Francisco, onde estavam internados, e foram assassinados a tiros e golpes de facão e faca.

Na ocasião, um vídeo que mostra um dos adolescentes sendo morto indica que o crime teria sido cometido por rivalidade entre facções criminosas.

Na filmagem que começou circular logo após a chacina, o assassino pede para uma das vítimas mostrar uma tatuagem com os números 745 nos dedos. Os números correspondem à sétima, quarta e quinta letra do alfabeto, que representa a sigla GDE, da facção Guardiões do Estado.