• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Preso apontado como o último dos chefes do tráfico no condomínio Ourimar, na Serra

Polícia

Preso apontado como o último dos chefes do tráfico no condomínio Ourimar, na Serra

A Polícia Civil afirma que todos os integrantes da facção criminosa que agia no local estão atrás das grades

Um homem apontado pela Polícia Civil como um dos chefes do tráfico de drogas no Condomínio Ourimar, na Serra, foi preso pelos policiais da Delegacia de Crimes Contra a Vida do município, nesta quarta-feira (17). Com isso, a PC afirma que todos os integrantes da facção criminosa que agia no local estão atrás das grades.

Fabio Rodrigo de Carvalho, mas conhecido como P2, era investigado pela participação em um assassinato no município. De acordo com o delegado Rodrigo Sandi Mori, ele foi preso enquanto dormia. "Nós já estavamos monitorando há um mês e após a prisão dos outros chefes, ele assumiu o comando do tráfico. Conseguimos realizar a prisão dele, que se encontrava dormindo, e não ofereceu nenhuma resistência", disse.

Somente Fábio continuava foragido. Com a prisão dele, a polícia acredita que todos os integrantes da facção que agia em Ourimar já estejam presos. "A associação criminosa que imperou no Ourimar desde a inauguração está presa", afirma o delegado Sandi Mori.

A violência no condomínio Ourimar virou assunto frequente nos noticiários. No período de maio a novembro do ano passado, sete homicídios ocorreram na localidade. Todos foram investigados e elucidados pela DCCV da Serra. Ao todo, 16 pessoas foram presas, 15 pela delegacia e uma em uma ação da PM.

A delegacia responsável pela investigação dos assassinatos realizou cinco operações no condomínio. Na primeira fase, denominada Saturação, tirou de circulação dois envolvidos no tráfico de drogas do condomínio.

Após as primeiras prisões, outra pessoa assumiu o controle do tráfico, mas este foi preso em novembro de 2017, na segunda dase da operação, ele era procurado por envolvimento em um assassinato que aconteceu em novembro.

Segundo o delegado, durante as investigações ficou comprovado que todas as mortes que ocorreram no condomínio tiveram a mesma motivação: o tráfico de drogas. As ações preventivas serão realizadas para evitar que outros criminosos tirem a paz do morador de bem.