• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Idoso mata esposa e é preso por homens da Força Nacional na Serra

Polícia

Idoso mata esposa e é preso por homens da Força Nacional na Serra

Uma das filhas do casal escutou o pedido de socorro da mãe. Ao chegar à residência dos pais, encontrou a mãe ensaguentada e o pai com uma faca na mão

De acordo com a filha, o pai segurava uma faca similar a da foto Foto: TV Vitória

Um idoso foi preso por homens da Força Nacional suspeito de matar a esposa, no bairro São Domingos, Serra, na noite de terça-feira (14). Mario Rodrigues Ferreira, 69 anos, e Aldir Nascimento Ferreira, 67 anos, estavam juntos há mais de 40 anos e tiveram sete filhos.

Uma das filhas do casal, que preferiu não ser identificada, conta que conversou com a mãe pouco tempo antes do crime acontecer. “A minha mãe estava sozinha tomando banho. Perguntei se ela iria temperar o feijão, ela falou que sim. Peguei o feijão e fui para casa, porque moro nos fundos. Quando comecei a dar comida ao meu filho, ouvi gritos de desespero”.

De acordo com familiares, o casal almoçou e depois saiu para ir ao supermercado. No final da tarde, os dois teriam até comprado um celular. Durante o retorno para a casa, Aldir foi preparar o jantar enquanto Mário foi para o bar.

Testemunhas disseram que ele estava um pouco alterado, mas ninguém ouviu nenhuma discussão depois que ele voltou do bar. Apenas a filha do casal que escutou um grito de socorro e foi ver o que era.

“Vim correndo e, quando cheguei ali, vi minha mãe dizendo ‘socorro, socorro, me ajuda’. Virei ela e ela estava lavada de sangue”.

De acordo com a mulher, o pai estava em pé na cozinha segurando uma faca. Mãe e filha foram para a rua em busca de ajuda. Aldir foi levada por um vizinho para o pronto atendimento de Serra Sede, mas não resistiu aos ferimentos.

A filha do casal chamou a polícia para prender o pai, que foi levado pela Força Nacional. Mário Rodrigues foi encaminhado para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, em Vitória. 

Ele foi autuado pela delegada de plantão. De acordo com a família, ele sempre teve problemas com alcoolismo e, por imposição de um antigo emprego, ele frequentou os Alcoólicos Anônimos por três anos.