• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Músico africano é assassinado a tiros enquanto consumia crack na Serra

  • COMPARTILHE
Polícia

Músico africano é assassinado a tiros enquanto consumia crack na Serra

A vítima é um tunisiano que estava morando em Dubai antes de vir para o Estado

A vítima morava em Dubai e falava sete idiomas

Um homem foi preso suspeito de assassinar um tunisiano, na Serra. O crime aconteceu em dezembro. O suspeito é Marivan Coutinho de Souza, de 46 anos. Ele foi preso no último domingo (4), no bairro São Geraldo, pela equipe da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) do município, e confessou o crime.

"No dia do crime, por volta das 4 horas, ele atraiu a vítima para usarem uma pedra de crack. quando a vítima estava consumindo o crack, ele sacou uma arma de fogo, efetuou três disparos, um deles acertou a axila e ele acabou morrendo no local", informou o delegado Rodrigo Sandi Mori.

Marivan é suspeito de assassinar o tunisiano Makram Raddaqui, de 33 anos, no dia 29 dezembro do ano passado. O suspeito foi preso em um beco do bairro, onde há intensa movimentação de usuários de drogas. O local fica a poucos metros de distância de a onde a vítima foi assassinada.

De acordo com a polícia, Makram era músico e estava morando no Espírito Santo há cerca de um ano. Ele era da Tunísia, no norte da África, mas antes de vir ao Brasil estava vivendo em Dubai com a esposa e uma filha pequena. Ele veio para conhecer um primo, mas acabou no mundo das drogas.

"Essa vítima falava sete idiomas, tinha vários empregos em Dubai, era um rapaz muito querido no país dele. Infelizmente ele veio ao Brasil conhecer a família, um primo dele que ele ainda não conhecia, chegou até trabalhar aqui, mas acabou conhecendo o crack, perdeu família, perdeu a vida, perdeu sonhos", disse o delegado.

O suspeito tem várias passagens pela Justiça

Na época do assassinato, Makram não havia sido identificado. Isso só foi possível após contato feito pela  embaixada da Tunísia com a polícia do Espirito Santo. "Por meio da própria embaixada, que entrou em contato, juntamente com a família, alguns dias após o crime, nós conseguimos identificar, investigar o crime, chegamos a autoria e o suspeito confessou o crime com riquezas de detalhes", contou Sandi Mori.

Segundo a polícia, o suspeito tem várias passagens pela Justiça. "Ele tem passagens por tráfico, porte ilegal de arma, tentativa de homicídio, estava com um mandado de prisão em aberto por furto pela comarca de Nanuque, cumpriu uma pena de 19 anos em Minas Gerais", relatou o delegado.

Nesta segunda-feira (5), o homem foi levado ao Presídio de Viana. A embaixada da Tunísia segue acompanhando o caso.