• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Arma de PRF morto dentro de carro em Vitória é encontrada

Polícia

Arma de PRF morto dentro de carro em Vitória é encontrada

A arma do policial rodoviário federal morto com um tiro na cabeça no dia 30 de março, no bairro Mata da Praia, em Vitória, foi encontrada e o caso pode ter uma reviravolta. Uma coletiva aconteceu na manhã desta quinta-feira (10) para prestar esclarecimentos sobre o caso.

Entenda o crime

Moradores da região avistaram o corpo da vítima sem roupa e dentro de um carro e, logo em seguida, acionaram a Polícia Militar. João Miguel Sacramento, de 46 anos, estava com um preservativo no corpo.

O corpo do policial foi encontrado na manhã do dia 30 de março e, na parte da tarde, um suspeito identificado como Jhon Bener Reco Alves de Araújo, de 22 anos, foi preso dentro de casa, no bairro Jabour, em Vitória. O acusado, que não tem passagem pela polícia, negou o crime e disse que só foi preso porque é travesti. Porém, segundo a polícia, testemunhas viram Jhon correr pouco depois do crime. A suspeita é que João tenha sido morto com disparos de um revólver calibre 38.

No último dia 04, a polícia apreendeu uma arma similar à do policial. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), ainda não havia a confirmação de que era a arma de João Miguel. Segundo a polícia, a vítima estava com duas perfurações no lado esquerdo do pescoço, uma no rosto e outra na cabeça. Dentro do veículo a polícia encontrou um coldre, que é o acessório para guardar a arma. A vítima ainda usava uma pulseira, aparentemente utilizada para a entrada em uma festa. 

No dia 31 de março, a polícia analisou imagens de câmeras de videomonitoramento da região onde o policial rodoviário foi morto. Jhon foi autuado por homicídio duplamente qualificado, por não dar chance de defesa para a vítima e motivo fútil. Na noite de domingo (30), o acusado foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Viana, onde permanece à disposição da Justiça.