• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Noite de confusões na GV: Ônibus são depredados e pelo menos três pessoas são presas

Polícia

Noite de confusões na GV: Ônibus são depredados e pelo menos três pessoas são presas

De acordo com informações da PM, 12 ocorrências foram registradas no DPJ de Vitória, envolvendo motoristas que foram flagrados embriagados e também pessoas que participaram de confusões

Policiais fizeram patrulhamento durante a festa em Camburi Foto: TV Vitória

A noite do último domingo (27) foi marcada por confusões após a festa de uma rádio, que aconteceu na praia de Camburi, em Vitória. Pelo menos quatro ônibus foram depredados, três pessoas foram presas e um adolescente foi apreendido suspeito de assalto.

De acordo com informações da Polícia Militar, 12 ocorrências foram registradas no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória, envolvendo motoristas que foram flagrados dirigindo sob o efeito de álcool e também pessoas que participaram de confusões dentro de ônibus na Grande Vitória.

Três pessoas foram presas depois de uma briga dentro de um coletivo em Vitória. Além disso, segundo os policiais, quatro ônibus foram apedrejados, um em Vitória e três em Cariacica. No Terminal de Campo Grande, um motorista foi agredido durante uma confusão. 

Ainda segundo a PM, adolescentes foram flagrados usando drogas. Os menores estavam com frascos de loló e maconha. Além disso, um menor acabou apreendido suspeito de usar uma pistola de pressão para roubar celulares. O rapaz estava com dois aparelhos.

Mulher baleada e pessoas esfaqueadas

A mulher ficou caída no meio da avenida Foto: Reprodução

O evento de uma rádio realizado na praia de Camburi, em Vitória, neste domingo (27), terminou em tumulto e confusão. Uma mulher foi baleada, três pessoas foram esfaqueadas e uma foi pisoteada durante o evento. 

Segundo a Polícia Militar, a confusão começou quando um tiro foi disparado da área vip para o público na areia, próximo ao palco. Uma mulher foi baleada e levada para o Hospital São Lucas. Ainda não há informações sobre a identificação ou o estado de saúde da vítima. 

Testemunhas relataram que não havia policiamento ou seguranças no local. A Guarda Municipal confirmou que 20 mil pessoas eram esperadas para o evento, mas esse número chegou a 50 mil. 

Por volta das 20 horas, o evento foi cancelado. Segundo informações, duas bandas musicais não chegaram sequer a se apresentar. 

O Batalhão de Missões Especiais foi acionado e duas pessoas foram encaminhadas ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória, entre elas um menor de idade - que estava com entorpecentes - e um rapaz - que portava um simulacro de arma de fogo.  

Moradores da região relataram que os prédios foram utilizados como banheiro público e muito lixo foi jogado na areia da praia e nas ruas próximas. Desde as primeiras horas do dia, vários ambulantes com caixas de isopor e bebida eram vistos no local. Ônibus circulavam lotados. Por volta de 14 horas, a avenida não tinha sido interditada e o espaço era disputado por pessoas e carros. 

Logo no início da noite, quando a confusão começou, muitos ouviram barulho de gritos, correria e garrafas sendo estouradas. O clima de tensão tomou conta do local e muitos moradores preferiram ficar dentro de suas casas.

Organizador diz que público foi maior do que esperado

O diretor executivo das Rádios da Rede Gazeta, Antonio Mendes Camilo, disse que o evento foi planejado e realizado para uma estimativa de 20 a 30 mil pessoas, mas na prática o número de presentes pode ter ultrapassado 50 mil. "O fato é que houve um público maior do que esperávamos e apesar de todas as confusões Não tivemos nenhum registro de morte".

A dupla sertaneja Victor e Léo e o Grupo Sorriso Maroto, impedidos de terem acesso à área do evento, não se apresentaram. Segundo Camilo, o problema mais grave foi registrado por volta das 19h, uma hora antes do prazo previsto para o encerramento dos shows. "Às 19h30, quando tentamos trazer as últimas bandas que iriam se apresentar, algumas pessoas estavam muito alteradas em frente ao palco e, naquele momento, decidimos cancelar o evento por questões de segurança das pessoas presentes e dos artistas”. 

Para o secretário Municipal de Segurança Urbana de Vitória, Fronzio Calheira Mota, o evento recebeu um público acima do esperado. “Quando eu cheguei no local e vi aquela multidão, eu já fiquei preocupado, já presumi que uma quantidade tão grande de gente dobrou a expectativa dos organizadores e do poder público municipal e estadual. Eu fiquei muito preocupado, sabendo que qualquer conflito mais sério poderia chegar a uma situação como aquela que de fato aconteceu”, afirma.

Ainda segundo o secretário, a prefeitura de Vitória se organizou para um evento menor. Ele explica que o órgão vai analisar o que aconteceu. “Houve um planejamento para um público estimado em 20 mil pessoas, houve um planejamento para isso. O município se organizou, os organizadores do evento se organizaram e o público mais do que duplicou. O município não autorizaria, com certeza, um evento para o público que acabou acontecendo, esse que é o ponto. Isso vai ter que ser objeto de análise por parte da administração municipal”, explica.

Sesp diz que policiamento era suficiente para 30 mil pessoas

Por sua vez, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo disse que não divulga o número de efetivo da Polícia Militar empregado no evento, mas informa que a quantidade era suficiente para garantir a segurança de até 30 mil pessoas, conforme expectativa inicial da organização dos shows. Como o número de público foi muito maior, houve vários registros de confusões e brigas. Segundo a secretaria, o caso mais grave foi o de uma senhora de 60 anos baleada na perna e levada para um hospital da capital sem gravidade. Ainda segundo a Polícia Militar, não há confirmação de nenhum caso de esfaqueamento e nem de pisoteamento na orla de Camburi durante o evento.

Vídeo mostra início da confusão:

Imagens flagram desespero e correria:

Morador registra muitas pessoas correndo: