• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Assalto a farmácia no Centro: menor é apreendido e outro suspeito continua foragido

  • COMPARTILHE
Polícia

Assalto a farmácia no Centro: menor é apreendido e outro suspeito continua foragido

O adolescente, de 16 anos, estava em um ponto de venda de drogas quando foi apreendido. Outro suspeito, identificado como Gilson Rodrigues de Almeida, de 38 anos, está foragido

O adolescente utilizava a arma no momento do assalto na farmácia, no Centro de Vitória Foto: Divulgação/Polícia Civil

Foi apresentado na manhã desta quarta-feira (22), um adolescente envolvido em um assalto que terminou com um atendente baleado em uma farmácia, no dia seis de junho, no Centro de Vitória. Na delegacia, a mãe diz que preferiria que o filho estivesse morto.

O adolescente, de 16 anos, estava em um ponto de venda de drogas quando foi apreendido, segundo a polícia. Outro suspeito, identificado como Gilson Rodrigues de Almeida, de 38 anos, continua foragido.

“Passamos a monitorar alguns pontos em que ele poderia ser encontrado e felizmente na data de hoje, policiais estavam fazendo o monitoramento em uma região e dois indivíduos foram abordados. Próximo havia uma residência em que o menor estava na janela. Quando ele tentava fugir, os policiais fizeram o cerco e conseguiram apreendê-lo”, afirma o delegado que acompanha o caso, Jordano Gasperazzo.

Gilson Rodrigues de Almeida continua foragido e responde por outro crime além da farmácia Foto: Divulgação/PC

A mãe do adolescente esteve na delegacia e diz que não ficou surpresa com a apreensão do filho. “Já esperava isso porque desde que eu soube do caso da farmácia, eu sabia que a qualquer momento ele poderia ser pego”, diz.

O menor aparece nas imagens junto com Gilson, no crime da farmácia no Centro de Vitória. No vídeo, é possível ver que no momento que os dois homens entram, os suspeitos se passam por clientes, mas anunciam o assalto. Armados, os criminosos pegam o dinheiro que estava no bolso da vítima e também exigem o do caixa.

No entanto, para que a gaveta do caixa abra, o atendente precisa registrar um produto. Ele cadastra a mercadoria e um dos assaltantes pega o dinheiro. Os suspeitos não ficam satisfeitos e querem mais dinheiro. Eles exigem que a outra gaveta seja aberta.

O funcionário fica muito nervoso e um tiro é disparado, provavelmente de forma acidental. O atendente continua tentando registrar o produto e não consegue. Impaciente, um dos bandidos atira novamente. A vítima cai e os criminosos fogem.

Após o crime, a mãe do adolescente apreendido disse que preferiria ver o filho morto Foto: Reprodução/TV Vitória

“No momento da ação, ele alega que se encontrava drogado. A arma pertencia ao Gilson que foi dada ao menor e durante a ação eles levaram cerca de R$ 100 e dali eles se evadiram e passaram a noite consumindo crack em uma região conhecida como Gruta da Onça”, completa o delegado.

De acordo com a polícia, Gilson, que ainda está foragido, responde por outro crime. Segundo as investigações da polícia, Gilson teria comentado em uma conversa de bar que tinha envolvimento no assalto da farmácia. Uma vizinha que também estava no bar teria ouvido a conversa e poderia denunciar Gilson que, então, teria decidido matar a mulher que ouviu tudo, mas o assassinato não deu certo.

A mãe do adolescente diz que tentou salvar o filho do mundo do crime, mas não conseguiu e diz que desejava ver o filho morto. “Eu preferiria que meu filho estivesse morto, que tivessem matado ele porque aí isso teria acabado”, diz.