• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Fornecedor de motos adulteradas pela internet é preso em Mimoso do Sul

Polícia

Fornecedor de motos adulteradas pela internet é preso em Mimoso do Sul

Com Ronaldo Cordeiro, de 40 anos, a Polícia Civil apreendeu 70 motocicletas. Segundo a polícia, veículos eram comprados também para prática de crimes

Ao todo, 70 motocicletas adulteradas foram apreendidas com o suspeito | Foto: Site Mimoso News

Um homem apontado pela polícia como um dos principais fornecedores de motocicletas adulteradas do sul do Estado foi preso em Mimoso do Sul. De acordo com a polícia, Ronaldo Cordeiro, de 40 anos, comercializava os veículos por meio de anúncios em redes sociais.

O suspeito foi detido por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), em uma operação conjunta com a Delegacia de Mimoso do Sul, na última quinta-feira (20). Com Ronaldo, foram apreendidas 70 motocicletas que, segundo a polícia, eram adulteradas.

Em um galpão na zona rural de Mimoso do Sul os policiais encontraram 40 motos. As outras 30 foram apreendidas na oficina do suspeito.

Ronaldo foi preso na quinta-feira, durante uma ação conjunta da DFRV com a Delegacia de Mimoso do Sul | Foto: Divulgação/PCES

"Ele comercializava essas motos tanto em sua oficina quanto pela internet, já com a indicação de que se tratava de uma motocicleta para roça, ou seja, aquelas que não poderiam ter a sua situação regularizada junto ao Detran", afirmou o delegado Ícaro Ruginski, da DFRV.

Ainda de acordo com as investigações, as motocicletas vendidas por Ronaldo muitas vezes eram usadas por suspeitos para cometer crimes. Ruginski explica que, como as placas eram adulteradas, a polícia encontrava dificuldades para investigar os casos.

"Isso dificultava a identificação do seu proprietário. Inúmeros fatores negativos aconteciam em decorrência disso, entre eles acidentes de trânsito, além da utilização dessas motocicletas para a prática de crimes mais graves, entre eles roubos, homicídios e transporte de drogas", ressaltou.

Segundo o delegado, os veículos eram comprados em leilões no Rio de Janeiro e comercializados em todo sul do Espírito Santo. Ronaldo, segundo a polícia, não tinha autorização para vender motos. O suspeito foi autuado por adulteração de veículo, receptação e exercício de atividade econômica sem autorização administrativa.

"Quem compra esse tipo de veículo responde pelo crime de receptação dolosa e poderá ser autuado em flagrante, caso venha a ser pego em posse desse veículo", alertou Ícaro Ruginski.