• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cabeleireira é assassinada com mais de 10 facadas em Cariacica

Polícia

Cabeleireira é assassinada com mais de 10 facadas em Cariacica

De acordo com os investigadores da Divisão de Homicídios, a cabeleireira foi morta com mais de 10 facadas e também teve o pescoço cortado em Cariacica

A última vez que os vizinhos viram Lucimar foi por volta das 19h30 Foto: Reprodução

A cabeleireira Lucimar Cupertino de Andrade, 37 anos, foi morta a facadas dentro de casa, em Cariacica, Região Metropolitana de Vitória. O crime aconteceu na noite da última quinta-feira (13), no bairro São Geraldo.

 A proprietária da casa onde a vítima morava conta que recebeu a notícia por telefone e que não tinha motivos para reclamar da cabeleireira.

"Ninguém podia falar mal dela. Era trabalhadeira [sic], né? Tinha um salão, chegava todo dia às 10 horas e saía de manhã cedo. Ninguém tinha o que falar dela, era uma pessoa boa", contou Lúcia Maria Rosa.

De acordo com os investigadores da Divisão de Homicídios, a cabeleireira foi morta com mais de 10 facadas e também teve o pescoço cortado. A última vez que os vizinhos viram Lucimar foi por volta das 19h30, horário em que ela chegou em casa.

Segundo a polícia, o ex-companheiro da vítima chegou por volta das 22 horas. Como ele tinha as chaves, entrou e subiu as escadas, mas imediatamente desceu desesperado gritando que a cabeleireira estava morta.

Vizinhos foram até o local e constataram a morte da Lucimar. De acordo com eles, o casal estava separado há três meses e, nesse período, o rapaz teria tentado reatar o relacionamento.

Alguns homens que jogavam futebol em um campo próximo ao local, desconfiaram do ex-companheiro e tentaram agredi-lo. Mas a confusão foi rapidamente resolvida pelos moradores.

O rapaz foi avisar os parentes da vítima e quando voltou ao local do crime, foi conduzido para a Divisão de Homicídios. Ele prestou depoimento e foi liberado.

O caso vai ser investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher.