• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cai número de homicídios e crimes contra patrimônio em Vitória

  • COMPARTILHE
Polícia

Cai número de homicídios e crimes contra patrimônio em Vitória

Os novos dados demonstram a redução no número de assassinatos na cidade de janeiro a outubro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado

Gestores da Prefeitura e de forças policiais discutiram com o prefeito Luciano Rezende ações para redução da violência  Foto: Divulgação

A queda no número de homicídios em Vitória foi o foco principal da reunião do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), nesta quarta-feira (11). O secretário municipal de Segurança Urbana, Fronzio Calheira, apresentou os novos índices de violência do município com base nos dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp).

Os novos dados demonstram a redução no número de assassinatos na cidade de janeiro a outubro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado: houve uma redução de 46% de mortes violentas na capital.

"O Gabinete de Gestão Integrada Municipal, que se reúne mensalmente, consolida os dados muito positivos que nós estamos lidando há mais de um ano. Não só a queda em todas as ocorrências policiais em Vitória - contra patrimônio, arrombamentos e assaltos -, mas também a queda vertiginosa de homicídios na cidade: 46% de queda", registrou o prefeito Luciano Rezende.

Homicídios de mulheres também em queda
Durante a reunião do GGIM, foram divulgados os números de homicídios de mulheres ocorridos na cidade durante o ano de 2013, de acordo com os dados da Sesp, que contabilizam as mortes no local de ocorrência. Os relatórios indicam 12 homicídios de mulheres em Vitória, o que corresponde a uma taxa de 6,8 mortes por 100 mil habitantes.

O dado da Sesp mostra uma realidade diferente da apresentada pelo Mapa da Violência, que publicou o índice de 21 mortes, o que corresponde a 21,8 homicídios por 100 mil habitantes em 2013. A diferença entre os números ocorre, principalmente, por conta do método de contagem dos óbitos do Mapa da Violência, que contabiliza as mortes ocorridas nos hospitais de Vitória coletadas pelo Datasus, mesmo que as mulheres tenham sido vítimas em outros municípios.

Crimes contra o patrimônio diminuíram
Um outro dado importante apresentado na reunião foi a redução dos índices de crimes contra o patrimônio nas regiões administrativas que apresentavam a maior concentração desse tipo de crime. De janeiro a outubro deste ano, foram registradas 4.017 ocorrências (furtos e roubos), contra 4.157 no mesmo período de 2014. 

A diminuição ocorreu nas regiões Praia do Canto (- 11,5%), Jardim Camburi (- 16,5%), Jardim da Penha (- 6,2%), São Pedro (- 9,6%) e Jucutuquara (- 1,4%).

Na apresentação, o secretário Fronzio destacou os resultados e creditou os números positivos à integração entre forças policiais e Guarda Civil Municipal e às demais estratégias de prevenção e acolhimento da Prefeitura de Vitória.

"Tivemos uma queda expressiva nas regiões que apresentam o maior número de crimes contra o patrimônio, que pode ser explicada pelo aumento do policiamento ostensivo, mas também pelo trabalho preventivo da Prefeitura e promoção de áreas seguras. Os números da violência estão caindo em todo o Estado, mas, principalmente, em Vitória, eles estão reduzindo de forma mais contundente", ressaltou o secretário.

O prefeito Luciano Rezende lembrou ainda a ocupação dos espaços públicos, com as famílias praticando atividades físicas, a nova iluminação, a conservação e o reparo dos ambientes urbanos. Segundo ele, isso permite a melhora dos indicadores. "Ainda temos o trabalho do programa 'Onde Anda Você?', que diminuiu em 90% o número de moradores e pessoas em condição de rua, muitos dos quais usando drogas. Quando chegamos à Prefeitura, em janeiro de 2013, tínhamos exatamente 732 pessoas morando nas ruas. Ontem, nós tínhamos 130 pessoas. Esse monitoramento é feito diariamente e, possivelmente, Vitória é a única capital brasileira em que houve redução no número de moradores de rua nos últimos três anos", disse.

Rondas preventivas
O comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, o tenente-coronel Márcio Eugênio Sartório, comentou o trabalho da PM nos bairros. "As melhorias também podem ser atribuídas ao aumento das rondas preventivas e do policiamento a cavalo. Acreditamos que esses índices vão melhorar ainda mais com a chegada dos novos soldados", destacou.