• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Marido é preso por manter cadáver da esposa dentro de casa por 11 meses em Vila Velha

  • COMPARTILHE
Polícia

Marido é preso por manter cadáver da esposa dentro de casa por 11 meses em Vila Velha

Para não chamar a atenção, ele jogava sal no corpo e usava repelente para evitar que insetos se aproximassem do cadáver

Foto: Paulo Rogério/TV Vitória

Um homem de 54 anos foi preso nesta quarta-feira (7) após manter o corpo da esposa dentro de casa pro 11 meses no bairro Ponta da Fruta, no município de Vila Velha. Para não chamar a atenção, ele jogava sal no corpo e usava repelente para evitar que insetos se aproximassem do cadáver.

Segundo a polícia, a mulher teria morrido em dezembro do ano passado em um colchão inflável. As causas da morte ainda estão sendo apuradas pela Polícia Civil. O corpo, já em decomposição, foi recolhido e levado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.

O marido foi conduzido ao Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), também na capital. Aos investigadores, ele alegou que não matou a esposa e disse que ela teria morrido por uso em excesso de um tipo de medicamento. Ele também disse que resolveu ficar com o corpo por amar muito a esposa.

A casa da família está fechada. Segundo vizinhos, o casal é de Minas Gerais e não tem parentes aqui no Estado. Eles afirmam que era essa a desculpa usada pelo marido para justificar a ausência da esposa: ela estaria passando por um tratamento em Minas.

O marido foi ouvido pelo delegado, autuado por ocultação de cadáver e conduzido ao Centro de Triagem de Viana. A causa da morte da mulher continua sendo investigada pela Polícia Civil.

Carta

Uma equipe de reportagem da TV Vitória este no bairro Ponta da Fruta nesta quinta-feira (8). Um dos vizinhos do casal confirmou que a polícia encontrou uma carta junto ao corpo da mulher.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a carta foi recolhida como prova e passará por análise para comprovação se foi escrita pela vítima. "No momento, não será divulgado o conteúdo do material", disse a PCES.

Relacionamento

Os moradores contaram que, como todo casal, eles tinham discussões, mas mantinham uma convivência pacífica. Manuel Ferreira, um dos vizinhos do casal, contou que, por conta de problemas de saúde, a mulher costumava tomar muitos remédios. Manuel revela que nem imaginava que, por quase um ano, o vizinho pudesse manter o corpo da mulher em casa.